segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Faz hoje quatro anos...


O tempo passa mas há momentos na vida que nunca mais esquecemos... momentos que nos marcam tristemente para sempre... momentos que matam uma parte de nós... momentos que nos fazem perceber quão efémera é a vida. Faz hoje quatro anos que tudo acabou... faz hoje quatro anos que aprendi que devemos viver o presente sem nos preocupar com futilidades e dar valor a cada momento de felicidade porque amanhã podemos já cá não estar. E nos maus momentos só o amor e as boas recordações nos dão forças para continuar.

Felizmente graças à Rafaela recuperei a minha alegria de viver e todos os dias dou graças a Deus pela vida e pela família que tenho. Vivo o presente pois é a única coisa que temos, vivo a vida com uma alegria imensa e encho totalmente de mimos todos aqueles que amo. Só me ralo com o que realmente merece a pena pois a vida é de facto muito curta para perdermos tempo e energias com coisas e pessoas que nada merecem. Depois de toda a tristeza por que passei mudei completamente como mulher, como ser humano... a minha visão da vida mudou por completo assim como as minhas prioridades e necessidades. Morreu uma Paula e nasceu outra. Só damos valor ao doce quando já provámos o verdadeiro amargo. Viver é maravilhoso mas de facto a vida só faz sentido quando temos motivos para sorrir, quando acordamos de manhã e sentimos que vale a pena estarmos acordados.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

O meu depoimento na Pais & Filhos


Estou em pulgas! Mal posso esperar para ler o artigo "Nascer no Natal" para o qual prestei o meu depoimento sobre o dia mais feliz da minha vida! 26 Dezembro! O dia em que nasceu o ser mais maravilhoso deste mundo! A minha querida e adorada filha. O meu amor, a minha luz, a minha vida.


terça-feira, 28 de setembro de 2010

Adeus Paulinho

Estas foram as palavras que enviei ao Paulo após ler a sua triste carta de despedida. O Paulinho faria hoje 7 anos. Uma vida ceifada tão depressa...uma vida que ficou com tanto por viver.

"Depois de ler fiquei com um nó na garganta... se o amor por um filho nos dá toda a força do mundo, a verdade é que esse mesmo amor também nos pode matar.

Depois de tudo o que passei tenho a perfeita consciência que se algo acontecesse à minha filha eu já não teria forças para me erguer novamente e pediria a Deus que me levasse também consigo. Lidar com a perda dos meus bebés foi terrível.... mas lutar contra a perda de um filho que já cá anda neste mundo é algo que não consigo conceber. E a verdade é que há barreiras que nunca mais se conseguem ultrapassar.

Ainda hoje não consigo mexer nem olhar para o saco que coloquei no fundo da arrecadação com os sapinhos de peluche que o Paulo e toda a equipa me deram. Como lhe disse, não enlouqueci mas andei muito perto da loucura.

Bati no fundo e tenho a plena consciência do dia em que isso aconteceu. Já nem conseguia estar com crianças, não fui à festa de aniversário do meu afilhado, não fui à festa de aniversário do meu sobrinho... só pensava nos meus bebés e as lágrimas corriam-me pela cara sempre que via uma criança. Já nem consegui ler uma revista porque as revistas estão cheias de crianças... isolei-me de tudo e de todos... só o meu marido me confortava pois só ele sentia o tamanho da minha, da nossa dor. O meu marido, o meu pilar, o meu companheiro que lutou sempre ao meu lado.

Tentei refugiar-me no trabalho e manter a cabeça sempre ocupada. Não parava um segundo pois não queria ter tempo para pensar... fui-me desgastando em busca de algo que conseguisse acalmar a saudade, o vazio, a revolta...

E os dias iam passando e a minha dor não apaziguava.... a revolta aumentava e eu tinha que continuar a viver, a trabalhar, a lidar com a futilidade de certas pessoas, a ouvir as pessoas queixarem-se da vida e a preocuparem-se com coisas que não têm importância nenhuma. Tinha que lidar com a pergunta constante de quem não sabia o que tinha acontecido "Como estão os seus meninos?"...

Tinha que continuar a acordar de manhã e a enfrentar mais um dia... tinha que lidar com aquele vazio que me consumia a alma e me tirava a vontade de tudo. De dia os fantasmas atormentavam-me e à noite tinha pesadelos horriveis em que via os meus filhos em pleno sofrimento.

Bati no fundo. E nesse momento percebi que a única forma de conseguir acalmar a minha dor era engravidando novamente. O meu marido nem queria falar no assunto. Por ele já não tinhamos tido mais filhos. Ele teve muito medo de me perder pois eu corri risco de vida na primeira gravidez. Ele nem queria pensar numa nova batalha. Mas nós mulheres nascemos para dar vida, temos essa força dentro de nós que se sobrepõe a tudo.

E ele como grande Homem e companheiro deu-me todo o apoio. Eu precisava de sentir novamente VIDA dentro de mim. Tinha que ultrapassar essa barreira.

E quando engravidei a felicidade e a angustia tomaram conta de nós. Tinham passado apenas 4 meses após a perda dos gémeos. Era um risco para mim mas era uma LUZ depois das trevas. Só assim eu conseguiria continuar a viver... só assim a minha vida faria de novo sentido.

Foi uma gravidez saudável, correu muito bem mas o meu stress e a minha ansiedade eram constantes. Estava sempre com medo de perder tudo outra vez... bastava sentir algum desconforto e ficava em panico... não via o dia de ter a minha filha nos braços... de sair da maternidade com uma bebé ao colo, de trazer VIDA para dentro de casa.

E ainda hoje tomo metade de um comprimido antidepressivo para me manter calma e serena. A Rafaela trouxe LUZ à minha vida mas o medo da perda é uma constante. Todos os pais temem perder os filhos mas quando se passa por uma má experiência esse medo ainda é maior.

Posso viver muitos anos mas sei que a minha vida só fará sentido com a minha menina ao meu lado. Posso viver muito anos mas nunca mais esquecerei tudo o que passei. NÃO há um único dia em que não me lembre dos meus bebés (o Pedro e o Rafael).

Na altura percebi que muitas pessoas passam por situações semelhantes e que há pessoas que passam por situações piores ainda. Não é que isso me tenha confortado mas deu-me outra perspectiva da vida. Tentei arranjar formas de minimizar a minha dor...
Pensei que seria muito pior eles terem nascido e morrido passado algum tempo... a dor seria muito maior.... pensei que teria sido muito pior eles terem nascido deficientes ou com graves problemas de saúde visto ser uma gravidez "tipo euromilhões do azar" como disse o médico quando fui saber o resultado das autópsias. Uma gravidez de gémeos com apenas uma placenta....uma coisa rara com sérios riscos para mim e para eles...

Sei que eu poderia ter morrido. Nunca mais me esqueço na manhã que passei a chorar quando os médicos me disseram que eu poderia morrer... se Deus me deu a oportunidade de viver foi por alguma razão. Mas também cheguei a questionar a existência de Deus pois cheguei a um ponto em que nada explicava a minha revolta. A Paula morreu com eles e nasceu uma outra Paula, uma outra mulher. Nunca mais fui a mesma e dou um valor imenso à felicidade. Só sabemos apreciar o doce quando já provámos o amargo.

Vivo cada dia com uma satisfação imensa... mas também vivo atormentada por saber que tudo nesta vida tem um fim. Sei que nunca mais quero sentir aquele vazio.... não conseguiria viver.

Pois é querido Paulo, isto tudo para lhe dizer que cada um de nós vive as coisas à sua maneira. Há quem chore, há quem escreva, há quem se isole do mundo, há quem se remeta ao silêncio...cabe a cada um de nós perceber o que faz realmente sentido... cabe a cada um de nós decidir se queremos ficar no fundo ou se nos queremos erguer....cabe a cada um de nós perceber se temos força e vontade para continuar a viver... só nós podemos decidir o nosso futuro, a nossa vida.

Mas quero que saiba que sempre o admirei. Como director, como chefe, como amigo, como ser humano. Sei que tem um coração de ouro e dentro de si há de facto um Super Homem. O Paulinho sabe disso e tenho a certeza absoluta que ele quer ver o seu papá erguer-se de novo e ser o Super Homem que ele tanto amava e admirava."

Um grande beijo
Paula Veiga Claro

terça-feira, 21 de setembro de 2010

O céu tem mais um anjinho

Ninguém neste mundo devia viver para assistir à morte de um filho. Conheci o Paulinho com dias de vida. Vi aquele bebé de caracóis loiros e de olhos grandes e meigos crescer. Mas se a vida é injusta a morte é mais ainda. E hoje de manhã quando atendi o telefone o meu coração gelou com a notícia. Estou arrasada. Se a morte de um adulto é triste, a morte de uma criança é absolutamente revoltante e devastadora.

sábado, 24 de julho de 2010

Primeiro dia de férias

Esta coisa dos dentes é terrível para eles e para nós :-((
Um molar já tem as pontas de fora agora falta o outro que está quase a rebentar mas este está a dar uma luta dois diabos! Ela sempre foi assim, os dentes quando lhe nascem é sempre aos pares.
O que me consola é que só ficam a faltar os segundos molares de cima para ficar com a dentuça de leite completa. Antes dos 3 anos vamos estar safos desta fase! :-D
Eu estava a dar-lhe o Benurom para acalmar as dores mas ontem fomos à peditra e ela recomendou-me o Brufen. É mais eficaz neste caso pois acalma também o processo inflamatório. E tem dado resultado pois hoje já esteve menos impaciente ;-)

E hoje foi o primeiro dia de férias! Um dia quente para começar!
De manhã fomos à Fábrica da Pólvora com o Tio Nuno e os primos, depois seguiu-se o almoço e a sesta (chegou à hora de almoço tão rabugenta e cansada que já chorava por tudo e por nada. Mal se aguentava nas pernas com sono coitadinha). Mas ficou muito contente quando lhe disse que à tarde iamos todos à picina do Clube de Miraflores! Foi logo buscar a bóia do Mickey e teve que dormir a sesta com ela ao lado da almofada :-DD

Quando chegámos à piscina estava radiante e não largava o Papá! Estava mesmo contente por ver a mamã e o papá ali com ela! Mostrou a piscina ao papá, alertou-o para os perigos e até lhe disse que já podia despir a camisola! parecia uma guia turistica!!!!
Depois pediu-me colo para ir até à piscina porque o chão estava quente!!

O Papá tomou banho mas nós as duas não passámos da borda da piscina. Ela ficou logo gelada e eu também! Brincámos ali à beirinha com o regador, a pá, os meus crocs e o balde! E passado um tempo ela foi ter com o papá à esperguiçadeira para aquecer ao sol. Tadinha, batia o dente e choramingava com frio. Tive que a embrulhar toda e levei-a ao colo. TANTO MIMO!!

Deitou-se de chucha na boca e óculos de sol na cara! parecia um sapo! bebeu um bongo e comeu uma maçã à dentada(sem casca). " A minha mamã também!! ... pois, eu comi uma com casca!
ADORO ADORO ADORO quando ela diz daquela forma carinhosa e única "a minha mamã!".
Depois pediu para eu a tapar com a toalha e olhava feliz para nós com aquele sorriso lindo na cara enquanto roia a maçã.
Perguntei-lhe "Estás contente meu amor? E ela disse, "sim, goto muto de estar aqui na piscina".

Depois houve uma pequena birra para ir embora porque não queria "amanhã vimos outra vez?", perguntava ela. Mas o sono apertava e chegou a casa de rastos. Jantou e ao meio da refeição tive que lhe dar o Brufen pois começou a queixar-se com dores no pescoço. O papá deu-lhe o resto da massa à boca enquanto eu acabei de comer (ela chama por mim dezenas de vezes e sou sempre a última a acabar de comer pois passo o tempo todo a servir a madame! mais água, mais comida, limpa aqui, limpa ali, chichi, cócó, etc, etc).
Depois comeu um "gelado bebé", lavou os dentes com grande empenho de frente para a bruxa que colocou na tampa da sanita e em seguida cama. Adormeceu num instante e eu também enquanto lhe cantei a música da Fralda.

Depois acordei preocupada com os meus pais. Tinha o meu telemóvel cheio de mensagens e por isso não recebi o SMS que me tinham enviado à tarde. Enfim... e esta minha cabecinha começa logo a pensar coisas feias.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

A saga dos dentes está de volta...

É verdade, os dentes voltaram :-(
São os malditos segundos molares que nascem entre os 2 e os 3 anos. São os últimos dentes da dentição de leite mas estes DÃO LUTA!!!! As gengivas parece que vão rebentar, a Bonequinha tem andado com dores, hiper rabugenta e hoje até acordou com o pescoço inchado :-( A parte boa é que agora já se sabe queixar, já sabe dizer o que lhe doi e isso é uma grande ajuda. Agora está a dormir a sesta, já falei com a pediatra e assim que acordar lá vamos nós... bufff ... e o papá entra hoje de férias...timing perfeito... perfeito...
Agora já não chora de noite como quando era bebézinha. Uma noite acordou às 4 e pouco da manhã e levou o resto da noite a falar comigo, a chamar-me, a dizer "goto muto de ti mamã", a pedir a chucha que caia da boca e a outra chucha que caia da mãozinha para fazer festinhas na cara. Agora queixa-se que lhe doi a cara, fica hiper rabugenta e impaciente, não está bem em lado nenhum, não sabe o que quer e arrasta-se pelos sofás... estou habituada a ver a Boneca sempre com uma energia diabólica e quando a vejo assim tão molinha até me parte o coração. Anteontem passou a tarde inteira deitada no sofá a ver bonecos, não queria ir para a rua, não queria ir brincar. Às 18 e tal tive que a convencer a vir brincar comigo para o tapete do quarto pois quem estava a ficar parva era EU com tanto ver o DVD do Capuchinho Vermelho vezes sem conta.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

A minha amiga Bruxa

Hoje o papá está em Londres, em trabalho.
O dia foi muito tranquilo e a minha Bonequinha portou-se lindamente. De manhã foi para a escola, apesar de contrariada (agora anda outra vez com a mania de não querer ir para a escola).
À tarde dormiu a sua bela sesta e acordou cheia de vontade de brincar aqui em casa. Não quis sair, não quis ir ao parque.
Passámos a tarde inteira até à hora do banho sentadas no tapete do quartinho dela a brincar com a Bruxa e companhia. Eu cheguei a fim do dia com dor de garganta de tanto falar!!! Muito falo eu com a bonecada!!! Eu sou a Bruxa, o lagarto mau, a foca, o Óó, o Gilberto, a Nancy, os sete Anões, a Pipoca, etc, etc, etc..
Dou voz a uma infinidade de bonecada e repito vezes sem conta todos aqueles diálogos que a fazem rir, delirar e aprender de uma forma bastante divertida.
E agora arranjei uma maneira EXCELENTE de contrariar a teimosia da minha menina sem ela própria dar por isso! Posso dizer que é um método perfeito :-)
Ela anda fascinada com a Bruxa da história da Branca de Neve, a bruxa muito má e muito feia que não gosta de ninguém e quer mal a toda a gente. A bruxa é a voz da maldade, do incorrecto, da porcaria.
Por exemplo, eu digo à Rafaela que tem que lavar os dentes e ela começa a refirar a dizer que não quer. Então, entra em cena a voz da Bruxa: " eh eh eh, não faças caso da mamã, não laves os dentes! Deixa os bichos comerem os teus dentes para ficares assim feia e desdentada como eu. Os bichos comem os teus dentes com muita força, e amanhã de manhã não tens dentes e vais assim feia como eu para a escola!".
REMÉDIO SANTO! É ver a Rafaela a agarrar na escova de dentes com todo o empenho enquanto esfrega os dentes com muita força!!!! Põe a Bruxa em cima da tampa da sanita e zanga-se com ela enquanto lhe mostra que é bonita e lava os dentes todos na perfeição.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Ser mãe de uma menina

Desde pequena que sempre disse que gostava de ter uma filha. Uma menina, uma companheira. Talvez por eu ser uma pessoa muito fechada, nunca tive grandes amigas e nunca fiz confidencias a ninguém. Sou muito emotiva, extrovertida e aparentemente sociável mas a verdade é que nunca tive uma amiga do coração a quem contasse tudo. Acho que não há verdadeiras amigas. Tenho medo de confiar nas pessoas e depois apanhar uma desilusão. Posso dizer que os meus verdadeiros amigos são os meus pais e o meu marido. O Ricardo é um marido excepcional, adoro-o, já passámos por muita coisa juntos e posso dizer que neste momento ele é a pessoa que melhor me conhece e compreende. Já deu mostras de me amar profundamente e está sempre ao meu lado quando mais preciso.

Ter uma filha era outro sonho. Uma menina que me compreendesse e que fosse não só uma filha mas uma verdadeira companheira, a amiga especial que nunca tive. Neste momento sinto-me completa. Desde que ela nasceu nunca mais me senti sozinha, nunca mais tive aqueles pesadelos horríveis em que ficava sozinha no mundo. Agora tenho outro tipo de pesadelos próprios de uma mãe, medos que nem ouso escrever... com a maternidade deixamos de ter descanso, passamos a viver de coração nas mãos, é verdade, mas também é verdade que conhecemos e experimentamos sentimentos ímpares, sem igual. É o tal amor incondicional, o amor puro, o amor que vem de dentro e nos turva a razão e se sobrepõe a qualquer outro sentimento.

Mas voltando ao ponto inicial, a verdade é que adoro a companhia da minha menina, ela é tão parecida comigo!
Vamos à praia juntas, à piscina, aos jardins, aos parques infantis, aos supermercados, aos centros comerciais, estamos sempre juntas! Posso dizer que nunca tive uma companhia tão boa! E daqui a uns anos também irá comigo para o ginásio. Admiro a minha filha, amo-a profundamente e confio nela. Quero fazer dela uma grande mulher, com uma forte auto-estima para não ir atrás de rebanhos. Eu nunca fui atrás de rebanhos e nunca me ralei muito com o que os outros dizem. Quero que ela seja uma pessoa de opinião própria, segura de si, livre e independente de espirito. Quero que ela se aprenda a estimar e a dar-se a quem realmente a merece. Quero que ela se sinta livre pois quem é livre tem sempre vontade de voltar ao seu ninho ao contrário dos prisioneiros.

Não gosto de lhe dizer que NÃO só porque NÃO. Quero e faço questão que ela compreenda e perceba as coisas pois só assim irá interiorizar os ensinamentos. Não gosto de a proibir, prefiro juntar-me a ela e de a ajudar ou de lhe fazer ver as coisas. Talvez por isso ela já consiga fazer uma série de coisas que a maior parte das crianças da sua idade não conseguem. Não quero que sinta medo pois o medo impede o ser humano de evoluir, mas quero que sinta responsabilidade e que tenha consciencia dos limites e das consequencias dos actos.

Gosto de lhe mostrar a realidade como ela é e falar com ela como gente grande. Agora ainda não percebe certas coisas mas aos poucos vai percebendo tudo...
Ser mãe de uma menina é para mim a maior alegria do mundo.É ter alguém com quem partilhar verdadeiramente o prazer de ser mulher! Roupas, acessórios, brincadeiras, conversas, coisas de mulher. O mundo feminino é fascinante e confesso que se tivesse um filho seria complicado para mim ter que conviver com aqueles universos violentos de monstros, carros, futebol, jogos de computador, espadas, pistolas e a testosterona a fervilhar.

Gosto deste universo cor-de-rosa e a minha princesa também! Aliás, ela diz assim "A Mamã Mu é cor-de-rosa!"; "A Rafaela é cor-de-rosa". Agora tem 2 anos e meio e já começa a saber as cores. Curiosamente cor-de-rosa é a sua cor favorita e é a primeira cor que ela identifica e conhece!!!! Quer a saia cor de rosa, o banco cor de rosa (o verde é da Mamã) e as unhas cor de rosa.

HOJE PINTEI-LHE as unhas pela primeira vez!!! No fim de semana viu as unhas da avó Zeza pintadas de vermelho e disse logo "Também quero. Quero cor-de-rosa". E hoje tive que lhe fazer a vontade porque ao tomar o pequeno almoço encantou-se com as unhas da boneca Bratz que também são rosa!
Foi para a escola de unhas pintadas de lilás muito suave, toda vaidosa!! Ser mãe de uma menina é assim!!!! E agora quer ter o cabelo comprido pois adora rabos de cavalo e tranças. Um dia destes acordou com uma birra porque queria que eu lhe fizesse uma trança... enfim, ideias não lhe faltam!
Confesso que não gosto de ver meninas da idade dela com unhas pintadas mas ao mesmo tempo pensei em como eu gostava de usar ténis e o meu pai estava sempre a zangar-se porque queria que eu usasse sapatos como as outras raparigas. Enfim, temos que relaxar! São pequenas coisas que a fazem feliz e afinal que mal tem andar de ténis ou de unhas pintadas???...a infância e a adolescência são períodos privilegiados da vida em que ficamos felizes com coisas que futuramente já não terão piada nenhuma. Depois vamos crescendo e tudo perde a graça e a vida vai-se tornando cada vez mais dura e cheia de regras e responsabilidades.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

A minha primeira bóia!

Hoje fomos à piscina pela segunda vez :-)))
E na bagagem levámos um novo acessório: A bóia nova do Mickey que a mamã comprou no Jumbo!!!
Ela ADOROU! Assim conseguio andar "sózinha" dentro de água metida na bóia enquanto a mamã (sempre por perto) rondava a dizer que era um peixinho ou um tubarão (o Tubi dos bonecos Piu-piu e Silvester que ela agora vê vezes sem conta antes de jantar).

Tirei umas fotos à maneira para me servirem de recordação deste grande momento. Mais um momento em que admirei a força de vontade, a coragem, a energia, a teimosia e o espírito aventureiro da minha filha. Ela cai, ela levanta-se, ela tenta e tenta e não desiste enquanto não consegue aquilo que quer. Se numas situações é óptimo, noutras é de bradar aos céus!!!!

Escusado será dizer que já não largou a bóia. À noite teve que adormecer com ela ao lado da almofada! E hoje de manhã foi logo agarrar-se a ela novamente :-DD

terça-feira, 6 de julho de 2010

A primeira ida à PISCINA!!!

Confesso que não sou muito de piscinas... dão-me um certo nojo!...mas o que é que eu não faço pela minha filha!!! ADORO ver a felicidade estampada naquela carinha fofinha. Ontem, quando a levei para a escola, percebi que os colegas iam todos para algum lado. Perguntei logo à Benvida se havia alguma coisa que me estava a transcender. Havia sim. Na semana que estivémos de férias em Junho correu uma circular para os pais inscreverem os filhotes para irem à piscina. Eu não sabia e não inscrevi a piolha...e mesmo que soubesse não o faria pois tenho muito receio que algo lhe aconteça. Sei que ela é uma criança super enérgica e aventureira, não tem medo de nada e isso na idade dela é motivo mais que suficiente para eu e o papá termos receio.
Perguntei onde era a dita piscina pois estava com vontade de ir dar uma espreitadela.

Hoje de manhã fui lá e gostei. Vi as instalações e percebi onde posso deixar o carro e aceder à piscina para não ter qualquer tipo de stress ou dúvidas quando for lá com a minha menina.
E assim foi. Pensei para com os meus botões: "Hoje quando ela acordar da sesta vamos as duas à piscina!!!"
E assim foi. Quando ela acordou perguntei-lhe: "Vamos à piscina?"
Ela respondeu eufórica: "VAMOS!!!"

E lá fomos. Só lá estivémos uma hora mas deu para nos divertirmos a valer.
Como eu previa ela não teve medo de nada. Queria nadar sózinha, dar mergulhos sózinha, fazer tudo e mais alguma coisa! Coloquei-lhe uma bóia e andei agarrada a ela dentro de água. E até deu vários "mergulhos" da borda da piscina sempre com a preciosa ajuda da mamãzinha!! Depois começámos a ter frio e tivémos que sair da água.

E ali ficámos, as duas sentadas na mesma cadeira, a comer um gelado (super-maxi), o meu braço em redor dos ombros dela, ela disse "pata mamã", ou seja pediu-me para eu a tapar com a toalha. E assim ficámos, sentadas, a saborear o nosso gelado, tapadas com a toalha a saborear aquele fim de tarde escaldante, a água serena da piscina, eu a dar-lhe uns beijinhos naquela carinha fofinha... foi um daqueles momentos mágicos da vida em que nos sentimos verdadeiramente e profundamente felizes.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Vamos dizer ADEUS à FRALDA!

Hoje vou comprar mais cuecas porque a Susana disse que iam começar os treinos para deixar a fralda.
Só tem 7 cuecas da Hello Kitty e vou comprar mais algumas. Mas acredito que a minha filha se vai portar à altura pois já está muito bem ensinada pela mamã ;-) tenho a consciência que fiz um bom trabalho e confio na minha menina.
Aliás, eu já disse à Susana que o dia em que a Bonequinha deixar a fralda vai ser de vez. Ela não acreditou e disse que há sempre acidentes mas eu SEI que a minha menina se vai portar muito bem e que não vai haver acidentes.

terça-feira, 6 de abril de 2010

É meu!

Como é habitual a minha bonequinha adormeceu agarrada a mim...e ao Óó, e ao cão cor-de-rosa, e ao Gilberto e ao Cão bebé que o Abô Paulo lhe deu na Páscoa. Na boca uma chucha e na mão "a iotra chucha".
Hoje estava estoirada e não foi preciso grandes conversas. Adora que lhe cante a música do Óó (está na hora da caminha vamos lá dormir, ver lá fora as estrelas...) ou a música do António, ou a música da minha autoria "A mamã gosta muito da Rafaela e a Rafaela gosta muito da mamã...".
Hoje apenas trocou umas palavras e que palavras!!! A MINHA MAMÃ É MEU!
Adoro quendo ela diz isto ;-))

quinta-feira, 4 de março de 2010

Desenrascada que só visto!

Hoje não chove. Nem acredito!! é motivo para exclamar: mas isto é o SOL ou é uma miragem??

Uma pessoa levanta-se mais bem disposta!! Só apetece passear!! e quando se tem uma bonequinha com 26 meses em casa tudo se torna mais divertido!
Todos os dias me surpreende com uma nova gracinha ou conversa. Hoje foi para a escola com os collants rosa claro e quele vestido em malha maravilhoso! Fica lindona mesmo!

A piolha detesta ter o cabelo nos olhos e por isso, enquanto a franja não cresce, anda sempre de gancho. Mas ao comer a papa do pequeno almoço resolveu tirar o gancho do cabelo para não o sujar (a minha filhota é como eu, super cuidadosa e por vezes muito manienta!! tirar o gancho para não o sujar, onde é que já se viu!!!).

Então lá andava ela de gancho na mão à procura de um bolso no vestido onde guardar o dito. Mas o vestido não tinha bolsos. Mas ela nem se importou!! Num instante arranjou uma solução!! Com aquelas mãozinhas pequeninas levantou o vestido, abriu os collants na zona da cintura e colocou lá o gancho! Desenrascada que só visto ;-))

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Carnaval: A nossa Joaninha vaidosa :-)

Hoje a nossa princesa foi para a escola mascarada de Joaninha! Um vestido preto e vermelho todo rodado (como ela adora) com bolinhas! Tinha umas asas e umas antenas mas eu não lhas coloquei porque iam prender-lhe os movimentos.

Agora a piolha está a dormir a sesta aqui em casa tranquila. Quando acordar vamos os três para a festa de carnaval da escolinha! O Papá Xuxu hoje vai sair mais cedo para conseguir estar presente. Esta semana já deu muuuuuuuuuuitas horas extraordinárias ao patrão, incluindo a tarde toda de domingo passado. BOLAS! teve cá uma maratona de trabalho.

A nossa menina está tagarela que se farta. Já diz tudo! Canta, fala, dança, está uma espertalhona que só visto!

Hoje quando a fui buscar à escola fez-me um diálogo de morrer a rir!
Estava a chover e na rua estavam uns pombos. Ela observou os pombos pela porta de vidro da escola e disse: Mamã Paula, os pombos estão na rua, tá fio!
Eu disse-lhe: Os pombos não têm frio!
Ela furiosa respondeu: Mamã Paula, escuta o que a Rafaela fala. Os pombos estão na rua tá fio, tá chuva.
Depois começou a chamar os pombos para eles virem para dentro de casa. POMBOS! POMBOS! anda cá.
Depois percebeu que os pombos não lhe davam resposta e disse com um ar muito entristecido: OHH os pombos não falam a mim :-(

Eu ri quase até ás lágrimas! Ela diz com cada coisa!!!
Um dia destes estavamos todos a jantar, o Papá fez-lhe um festinha no cabelo e ela virou-se para ele com um ar muito sofisticado e disse: Deixa a Rafaela em paz!!!

Bem, todos os dias há muitas coisas engraçadas para contar!

E está uma vaidosa de primeira. "A minha cháia oda oda!" canta ela toda contente várias vezes ao dia. E roda roda até ficar tonta e acabar por cair no chão!!!. Isto significa: A minha saia roda roda :-)

Muitas saias, vestidos, ganchos (até dorme de gancho pois a "Rafaela não gota do cabelo nos lholhos"), fitas, tótós e não larga a sua mala cheia de tralha por nada desta vida. É mulher e está tudo dito ;-)