sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Ajudar quem precisa

Ontem passei a manhã a arrumar a arrecadação... uma manhã fantástica portanto... bufff.... mas tinha que ser. A porta já mal abria com tanta tralha lá dentro. Arrumo a arrecadação inúmeras vezes ao longo do ano mas em pouco tempo se enche novamente e fica de pernas para o ar. E eu não suporto bagunça!




Por isso mesmo, ontem tive que tomar uma decisão. Edredões, candeeiros, relógios de cozinha, almofadas, pastas, malas e malinhas, botas, roupas e dois sacos cheios de cabides. Tudo novo, tudo impecável... mas são coisas que já não usamos, coisas que deixaram de fazer sentido na nossa actual decoração porque quando a piolha nasceu fiz inúmeras alterações pela casa e ainda hoje gosto de alterar pequenos detalhes que dão uma lufada de ar fresco.

Botas e roupas que ficaram novas mas que também já não usamos. E não vale a pena pensar que as vamos voltar a calçar ou a vestir porque quando deixamos de gostar de certas peças de roupa a verdade é que já não as voltamos a usar.

Em suma, coisas boas e novas que estão ali a ocupar espaço.... sim, porque agora a "tralha" é outra e há que arranjar espaço para as nossas bicicletas, para a trotinete, para a mota e para um monte de coisas da piolha... para já não falar na colecção de DVDs e jogos do papá que cresce que nem cogumelos e vai ocupando sempre mais uma prateleira... ai ai...

E assim foi. Arrumei, dividi as coisas e coloquei tudo em caixas e sacos. E hoje fui dar a quem precisa. Enteguei tudo no Entreposto Solidário que fica no Estádio Municipal de Oeiras (junto ao bar, mesmo à entrada do parque infantil do Parque dos Poetas). Está aberto todas as Quintas/ Sextas e Sábados das 10h00 às 12h00 e das 15h00 às 18h30.

Já lá tinha estado a recolher informações e por isso aproveito para passar a palavra. Neste Entreposto podem entregar TUDO o que já não vos faz falta (roupa, roupa de cama, artigos de puericultura, móveis, artigos de decoração, filmes, CDs, livros, malas, carteiras, chapéus, etc). Tudo isto para ajudar as famílias carenciadas do Concelho de Oeiras e arredores. E são muitas... cada vez mais.

E fui atendida pela voluntária de serviço com um caloroso sorriso de gratidão. Agradeceu-me por tudo aquilo que lhes levei, inclusive pelos dois sacos de cabides que lhes vão dar um jeitão para arrumar toda a roupa que vão recebendo e que se vai amontoando. Falámos imenso e fiquei impressionada com os seus relatos. Há pessoas que nada têm... é triste... muito triste.

Mas saí com um sorriso nos lábios e com uma satisfação enorme por saber que todas aquelas coisas que tinha na arrecadação vão ser muito úteis a alguém.... vão fazer alguém feliz.

Aquilo que já não nos agrada pode ser um verdadeiro achado para outra pessoa ;-)

Sem comentários:

Enviar um comentário