terça-feira, 22 de novembro de 2011

Considerações natalícias

Aqui em casa temos uma regra: no Natal só damos prendas às crianças. É uma regra que já temos há alguns anos. A excepção vai para os nossos pais a quem damos sempre uma lembrança mas, este ano, por decisão familiar, também eles vão ser excluídos.
Assim, podemos comprar prendas melhores para os pequenitos (ou dar o valor em dinheiro) e evitamos gastos superfluos com prendas para os adultos que no fundo não precisam de nada ou nem gostam do que se lhes dá.

E este ano vamos optar por dar roupa ou dinheiro à criançada. Este ano não há brinquedos para ninguém. A quantidade de tralha que os miúdos têm é surreal! Crescem no meio do excesso, da fartura e nem sabem o que é levar um ano inteiro a pedir uma Barbie e só a ter no Natal. Hoje, nesta sociedade descartável, têm de tudo às dúzias e o desejo de conquistar aquilo que tanto se quer caiu por completo em esquecimento. É triste, por tudo isto tenho a sensação que as crianças de hoje não dão valor a nada. São o reflexo desta estúpida sociedade de consumo em que as pessoas vivem rodeadas de falsas necessidades. E o marketing tem feito um excelente trabalho neste sentido!! Não é por acaso que o mundo está como está... mas isto é outra conversa.

Mas com ou sem crise a verdade é que sempre gostei de oferecer coisas úteis. Não suporto dar ou receber tralha!
Tenho por hábito perguntar às pessoas o que é que precisam antes de lhes oferecer algo. E sou apologista do pouco mas bom. Prefiro dar ou ter poucas coisas boas do que dar ou ter muitas coisas más. Qualidade acima de tudo :-)

E nos tempos que correm a minha máxima ganha ainda mais consistência. Roupa para a criançada porque dá sempre um jeitão, porque está sempre a deixar-lhes de servir e porque se não gostarem podem trocar por outra peça que gostem mais ou que lhes faça mais falta.

Para nós adultos não há prendas. Para nós adultos a melhor prenda é a saúde, o convívio entre a família e a felicidade única que só os nossos filhos nos proporcionam com os seus sorrisos maravilhosos. A alegria com que as crianças vivem esta quadra vale ouro! graças a elas e só a elas, tudo isto tem a magia que tem.

E eu neste aspecto não posso estar mais feliz porque fui verdadeiramente abençoada. No dia 26 de Dezembro de 2007 tive a melhor "prenda" de Natal do muuuuuuuuuuuundo! A minha FILHA :-)

Saúde da boa é o meu único desejo para a ver crescer e para levar esta vida para a frente porque os tempos que correm não são cor de rosa e exigem músculos e garras de aço! :-)))

Sem comentários:

Enviar um comentário