terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Pérolas: Mais perguntas

Hoje, enquanto lhe dava banho, a piolha começa com esta conversa.

Rafaela: "Mamã, a Susana também já foi bebé? Tu já foste bebé? Todas as pessoas grandes já foram bebés?

Eu: Claro! A Susana já foi bebé e eu também! Todas as pessoas grandes já foram bebés. Primeiro são bebés, depois vão crescendo e tornam-se adultas, pessoas grandes. 

Rafaela: E depois ficam velhas e morrem, não é? mas há bebés que também podem morrer, não é?

Eu: Pois, os bebés também podem morrer. As pessoas não morrem só quando são velhas. Também podem morrer quando são novas. Podem ter uma doença ou um acidente e morrem. Por isso temos que ter juízo e muito cuidado para não termos acidentes e morrermos.

Ela ficou a pensar e em seguida perguntou: "Mas ainda falta muito tempo para nós morrermos mamã?"

Eu respondi: Nós nunca sabemos quando vamos morrer.

Ela olhou para mim, encolheu os ombros e exclamou sorridente. "Ah pois, podemos morrer às 8 ou às 8 e meia!!"

Enfim... santa inocência!!! Como é óbvio ela ainda nem sabe ver as horas mas já começa a ter uma vaga noção do tempo. O tempo, esse maldito que nos foge, esse maldito que é tão precioso.

Estas perguntas acerca da morte são próprias da idade mas é o tipo de conversa que me perturba. Não gosto. Tento levar o assunto de forma ligeira mas não gosto. Preferia que ela me perguntasse como se fazem os bebés mas por enquanto ainda não se mostrou para aí virada. Anda mais curiosa com estas questões obscuras da vida e da morte... enfim...

Sem comentários:

Enviar um comentário