quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Verdades proibidas

A visão desta semana tem como tema de capa uma verdade proibida.

Acabei de ler o artigo e fiquei pensativa. Segundo Jeffrey Kluger todos os pais têm maior inclinação para um dos seus filhos, embora nunca o assumam. É tabu, é socialmente incorrecto. A maior inclinação por um dos rebentos, quase nunca assumida, está nos nossos genes e cientificamente comprovada. O autor avança ainda que há danos para os preteridos mas ser o (a) eleito (a) também não é pêra doce.

É a chamada ciência do favoritismo.

Como só tenho uma filha não sou a pessoa mais indicada para falar no assunto mas confesso que o artigo dá que pensar. Será? Será que os pais têm um filho preferido?

O amor pelos filhos não se divide, multiplica-se, mas os pais são seres humanos e como tal é natural que se identifiquem mais com determinado filho (a) por este ou por aquele motivo. Mas será que isso os leva a amar mais um do que outro? A forma como falam, a forma como agem com cada um dos filhos será reveladora dessa preferência? A rivalidade entre irmãos faz parte da história mas será um indicador desse favoritismo camuflado?

Enfim, isto dava pano para mangas!! Sem dúvida ;-)

2 comentários:

  1. Se dava! Sou professora e infelizmente conheço casos complicados. É uma realidade em algumas famílias. Há crianças que sofrem bastante sobretudo com as comparações que os pais fazem entre irmãos. Cada criança tem a sua personalidade e cabe aos pais respeitar a maneira de ser de cada um. Acredito que amem profundamente todos os filhos mas a verdade é que alguns pais não o demonstram e as crianças sofrem com isso e acabem por pensar que gostam mais de A ou B.

    ResponderEliminar
  2. Há famílias e famílias, há pais e pais. Se há pais que desprezam os filhos também deve haver pais que gostam mais de um rebento do que do outro! Há gente para tudo. Eu sou mãe de duas meninas, cada uma é ímpar, cada uma tem o seu lugar no meu coração.
    Parabéns pelo blog! parabéns pela forma apaixonada com que escreve.

    ResponderEliminar