quinta-feira, 24 de março de 2011

Que futuro?

Se estou contente com a queda do governo?? Nem sei o que diga. Gostava de voltar a acreditar na política, gostava de voltar a ter as minhas convicções políticas. Mas já não as tenho. A estrutura europeia é demasiado complexa e a verdade é que já não há países soberanos. Mudam-se os políticos, mudam-se as cores partidárias, mudam-se os "boys" mas a estrutura continua a mesma. Se me preocupa? Sim... e muito.

Não consigo deixar de pensar na vida de amanhã. O que será da minha filha neste mundo tão difícil?
Se o país e o mundo não tomam um novo rumo... o que será das gerações vindouras?? E a mamã e o papá não duram para sempre.

Enfim, o meu desejo continua a ser sempre o mesmo: SAÚDE, muita... cuidar o melhor de mim e dos meus para que a saúde física e mental não nos falte. Com saúde podemos arregaçar as mangas e fazer o que for preciso para levar a vida para a frente. Para além disso, prefiro não pensar demasiado no futuro porque o dia de amanhã é e sempre será uma incógnita. No Japão um sismo varreu em segundos milhares de vidas e famílias... sofro ao ver tanta família destruida... tanto caus. A força da natureza é incomensurável.

Tudo isto me assusta... tudo isto faz parte da vida... por isso é que os ignorantes são felizes pois vivem noutro mundo, noutra realidade, nada sabem, nada percebem.

Por isso é que a felicidade das crianças é tão genuina e nos dá tanta força!... fico deliciosamente "embriagada" com o olhar inocente da minha filha, com a alegria imensa com que brinca, comunica e vive... olho e fico a pensar em quão maravilhoso é o ser humano no seu estado puro... aquela inocência e alegria são a minha fonte de energia, é nela que vou beber optimismo e força para acreditar que não há impossíveis.

Rafaela, minha querida menina, minha adorada filha, és a luz da minha vida... das nossas vidas. És a minha fonte inesgotável de pura energia e felicidade. Amo-te até ao infinito.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Consulta dos 3 anos. Temos top model ou médica?

Hoje lá fomos as duas à pediatra à consulta de rotina dos 3 anos.

A Rafaela entrou consultório adentro super bem disposta e conversadora. Cumprimentou a doutora e disse-lhe de imediato: "Doutora,tenho bichos na garganta. Tenho tosse. Tamos todos com tosse, eu, a mamã e o papá. Todos!".

Ela é assim, despachada que só visto e hiper comunicativa!!! Quando era bebé chorava que se matava no consultório da pediatra mas agora não tem medo e já sabe que os médicos são amigos. Adora lá ir!! Já toda a gente a conhece, fala com as recepcionistas, anda pela sala de espera a meter-se com as outras crianças, faz perguntas e mais perguntas! É uma alegria!!! E está sempre desejosa que chegue a nossa vez para ir falar com adoutora :-))

Tenho-lhe explicado que os médicos são nossos amigos e ela interiorizou perfeitamente a explicação. Para além disso, noto que tem bastante curiosidade e simpatia pela actividade dos doutores. E esta curiodidade cresceu ainda mais quando a amiga Teresinha (a coleguinha da creche cuja mãe é médica)lhe ofereceu um estojo de médica no terceiro aniversário!!

Desde então, passou a fazer consultas aos bonecos, vê a garganta, os ouvidos, põe e tira pensos, dá comprimidos e xaropes... "Agora respira fundo" diz ela enquanto ausculta a bonecada para ver se têm bichos nos pulmões :-)))

Eu e o papá também não nos safamos e estamos muitas vezes deitados de barriga para cima enquanto a piolha nos examina!!! É um espectáculo!!

Mas voltando à consulta. A Rafaela lá se despiu para a doutora a pesar, medir e examinar. Portou-se lindamente!

Temos então 1 metro de gente!! É verdade, a minha menina já mede 1 metro!!... mais 58cm e está do meu tamanho!! Sempre foi grande!! Quando estava na minha barriga esteve sempre no percentil acima, depois de nascer continuou sempre a desenvolver-se acima da média... se continuar nesta linha de crescimento será uma mulher com 1,80m!! temos TOP MODEL então :-))))

1 metro de gente com 15,300kg! Excelente! Come super bem dorme melhor ainda, fala pelos cotovelos, tem uma energia estonteante e um desenvolvimento mental 5 estrelas. Aliás, neste aspecto a própria educadora diz que a Rafaela está "muito à frente em relação às crianças da idade dela". Talvez por isso continue a preferir a companhia dos adultos do que a companhia de outras crianças porque com os adultos satisfaz toda a sua curiosidade e aprende mais. A pediatra diz para eu não me preocupar porque não é nada preocupante ela preferir a companhia dos adultos. Ela sempre foi assim desde muito pequenita. Ela aborrece-se de estar com as outras crianças porque com as crianças da idade dela não aprende quase nada, não se sente estimulada.

Ela gosta é de andar atrás dos adultos, a ver e a perguntar o que estamos a fazer! Ver, aprender, mexer, perguntar e perguntar até nos deixar de cabeça em água com tanto "e porquê?... e porquê?"

Para além disso, eu tenho a plena consciência que como mãe tenho feito um trabalho do qual me orgulho totalmente. Conversamos o tempo todo, explico-lhe tudo e mais alguma coisa, mostro-lhe o mundo, passeamos, corremos, brincamos, praticamos imenso desporto, proporciono-lhe tempo de qualidade em quantidade!!! Ela passa quase todo o dia comigo e isso é coisa rara nos dias de hoje! São poucas as mães que têm a possibilidade de passar o dia todo com os filhos. Mas também conheço mães que ficaram desempregadas como eu e preferem ter as crianças em full time na escola. São opções. Eu optei por ter a Rafaela na escola apenas em part time (de manhã) e confesso que não estou nada arrependida! tem sido óptimo para ambas!

Mas continuando. A consulta correu muito bem. Ali estava a Rafaela toda despida em cima da maca numa diversão tremenda! Ora vamos lá ver essa garganta. Vamos lá ver essa tosse. Foi aqui que fiquei surpreendida!! A piolha está com uma amigdalite e eu não fazia ideia! tem pontos brancos na garganta... aqui em casa temos tido todos tosse (aliás fui eu que me constipei e contaminei filha e pai!!)... mas nunca pensei que a piolha estivesse com uma amigdalite! Tem dormido super bem, tem comido super bem, não tem tido febre, nem tem andado rabugenta, não tem tido qualquer sinal de doença!! Apenas aquela tosse seca igual à minha e à do papá... as crianças são fantásticas! Eu tive uma amigdalite há uns anos e sei que até me custava a engolir a minha prória saliva!!!... e a minha filha anda aqui porreira da vida com a garganta cheia de pontos brancos, como é possível?!???!?!?!??????? :-))))

Temos então atibiótico para a madame. Quem diria!

A consulta correu bem até aqui. Depois começou a fazer birra porque não se queria vir embora e não se queria vestir! Queria continuar nua na brincadeira em cima da maca!!!! "Deixa-me esfregar aqui os pézinhos mamã!, dizia ela enquanto esfregava os pés descalços na maca fofinha.

E depois foi chorar para se vestir!!!...e teve mesmo que levar um puxão de orelhas pois entrou numa teimosia diabólica.

Mas o pior foi quando eu comecei a conversar com a pediatra. O facto da minha filha passar tanto tempo comigo tem imensas vantagens mas por outro lado tem uma desvantagem incontornável! Ela acha que a mamã é só dela e quando me vê falar com outras pessoas é um inferno. Tem uns ciúmes desgraçados, inclusive do papá.

Agarra-se a mim, chama por mim, faz tudo e mais alguma coisa para me chamar a atenção. Então lá estava a piolha sentada ao meu colo, agarrada à minha cara a chorar e a gritar "Mamã, preciso de ti", "Mamã, preciso de ti. Mamã, quero ir para a nossa casinha".... tudo isto para eu não continuar a falar com a pediatra e lhe dar a atenção devida. Estou farta de lhe explicar que quando estou a falar com alguém ela não me pode interromper porque é falta de educação. Estou farta de lhe explicar que a mamã também tem que falar com as outras pessoas...

E quando a minha mãe me telefona????... quando o telefone toca e eu atendo!!!... buff..... é horrivel... ela faz de tudo para eu não atender...

Agora em relação à pergunta: top model ou médica???... ela será aquilo que ela quiser. Eu e o papá estamos aqui sempre para a apoiar. Eu sempre fui uma excelente aluna, sempre tive excelentes notas, consegui entrar para o curso e para a faculdade com que sempre sonhei. Naquela faculdade pública onde só entram os melhores e onde as vagas se contam pelos dedos. Acabei a minha licenciatura com 17 na tese. Tive o imenso orgulho de ver a minha tese na biblioteca da faculdade ao dispor de quem a quisessse consultar para com ela aprender. Para a biblioteca só iam as melhores teses.

Tinha tantos sonhos a nível profissional. Cheguei ao mercado de trabalho e percebi que aí era apenas uma em mil. Os empregadores estavam a borrifar-se se tinhamos ou não uma boa média, se tinhamos ou não frequentado uma boa faculdade... com o passar dos anos percebi que nunca iria longe em termos profissionais porque sou demasiado humana, sincera, perfeccionista, empenhada, metódica, cuidadosa, empreendedora. Não alinho em jogos sujos. Não consigo engolir pessoal graxistas, falsas e hipócritas. Odeio injustiças e mentiras. Gosto de pessoas de palavra e percebi que nos dias que correm ninguém tem palavra.

Fiquei desempregada. A crise levou para o desemprego metade da equipa. Eu fui incluida. Fecharam departamentos, fecharam revistas, uma tristeza ver uma empresa ir ao fundo... mas nesse momento tive a certeza que iria ser feliz! E SOU!... ADORO ser como sou!... ADORO a vida que tenho!
Sou dona do meu tempo, da minha vida.

E a minha filha será o que ela quiser. Aqui estou para te ajudar! SEMPRE!

quarta-feira, 16 de março de 2011

O Dia do Pai está a chegar :-)

Adoro ouvir as suas conversas, a forma expressiva, alegre e engraçada como comunica. Principalmente quando a vou buscar à escola e ela me conta o que se passou! É uma tagarela que só visto :-)))

Não preciso de lhe perguntar nada. Ela sózinha põe tudo em pratos limpos com os devidos pormenores que ela tanto gosta de mencionar. Ou não seja ela uma "mulher"!!! Sim, porque nós mulheres gostamos de pormenores... em apenas cinco minutos de conversa temos a capacidade de saber mais coisas do que os homens em duas horas!!! (eles falam, falam mas no fim não dizem nada!!! eh eh eh)

Bem, mas lá vinha a madame sentada na cadeirinha do carro quando começou a tagarelar num tom sério, responsável e simultaneamente muito feliz "Sabes mamã, hoje fiz uma penda para o papá mas não poxo dizer o que é porque depois já não é surpresa. Não posso dizer porque assim já não tem piada."

Eu fartei-me de rir com a conversa!! Percebi perfeitamente que ela tinha assimilado por completo a conversa que a educadora lhe tinha feito quando estavam a fazer a prenda para o papá :-))

Só para a picar comecei a dizer-lhe "Vá, mas conta lá à mamã! Diz-me lá qual é a surpresa!"

"Não, não poxo. Porque depois já não tem piada", dizia ela em tom muito responsável.

Mas eu prometi que não iria dizer nada ao papá. "A mamã guarda segredo, não vou contar a ninguém, fica descansada". E ela lá me disse o que tinha feito!!! Tão querida!!!... mas depois de me contar deu-me logo o sermão "Agora não podes contar ao papá. É surpresa porque depois já não tem piada."

Ao fim do dia, quando o papá chegou a casa, ela gritou num entusiasmo gigantesco "Papá, papá tenho uma prenda para ti!!!!! mas não poxo dizer o que é. Depois tu vês, está bem. É para o dia do Pai. Eu abro e depois tu vês!"

É extraordinário ver como a piolha cresce. No ano passado por esta altura tinha dois anos e dois meses e o Dia do Pai não teve para ela o impacto que vai ter este ano! Nem por sombras!! Este ano já veio da escola eufórica com a prenda e com o facto de guardar segredo... é maravilhoso ;-)

E é um segredo guardado a sete chaves porque ela não conta mesmo!!... só eu é que sei!

segunda-feira, 14 de março de 2011

O peixinho Gorducho morreu :-(

O nosso Gorducho não era apenas um peixinho.
O nosso Gorducho já fazia parte do agregado familiar. Há dois anos que vivia no mini aquário que temos na cozinha.

Mas o Gorducho não andava bem. Ultimamente tinha adoptado uma forma estranha de estar na vida. Andava quase sempre de barriga para cima! Há meses que andava, ou melhor, que nadava assim. Eu e a Bonequinha fomos a uma loja de animais onde falámos com um entendido em bicharada. Diagnóstico: O Gorducho tinha uma bactéria.

Lá comprei o medicamento. Lá apliquei conforme posologia. Lá segui todos os passos que me indicaram. A Bonequinha acompanhou todo o processo e na hora dos tratamentos ela também me ajudava a colocar o medicamento na água.

O Gorducho ficou melhor e até lhe comprámos um amiguinho para lhe fazer companhia. Voltou à posição correcta, ou seja, voltou a nadar de barriga para baixo como todos os peixes frescos e saudáveis!!

Mas no fim de semana algo se passou. Desta vez começou a nadar de lado e eu percebi que o fim estava próximo. Tinha alguns dói-dóis nas barbatanas e a Bonequinha olhava para ele com pena e suspirava "Coitadinho do meu Gorducho, está doente outra vez".
De salientar que a minha filha tem uma paixão pelos animais inexplicável! Por ela tinhamos um Zoo aqui em casa.

Mas hoje o Gorducho não acordou. De manhã o papá disse-me que o peixe estava morto.
Próximo passo: o que dizer à nossa Bonequinha??

O papá queria dizer que ele tinha ido para o oceano. Mas eu achei que não era uma resposta correcta. Tenho lido muito sobre o assunto. Tenho pesquisado sobre as questões complicadas que surgem aos pais pois quero estar minimamente preparada para não vacilar com as perguntas que são cada vez mais complicadas... a morte é uma delas... e os entendidos dizem que não se deve esconder a verdade, deve-se contar o que aconteceu mas de uma forma ligeira e com um pouco de magia.

As crianças têm que ter a noção que tudo tem um fim. Assim começam a perceber mais facilmente os perigos inerentes a certas acções. Temos que ser claros e explicar que uma coisa é ficção e outra é a realidade. Se saltarmos da janela não voamos como as winx ou como o super homem... simplesmente morremos... acabou-se. Não devemos ser dramáticos mas devemos explicar as coisas de forma simples e em tom sério, carinhoso e natural para que percebam.

Então lá fui eu até ao quarto. Lá fui ter com a Bonequinha que estava deitada a fazer uma das suas birras matinais porque tem sono e não se quer levantar da cama. Fui ter com ela, acarinhei-a e disse-lhe: "Olha minha querida o Gorducho não resistiu aos dói-dóis. O Gorducho morreu".

Ela ficou a olhar para o vazio por uns segundos e desatou a chorar. "O meu Gorducho morreu?" dizia ela lavada em lágrimas. "Deixa-me ver mamã".

Lá fomos até à cozinha onde lhe mostrei o peixinho dentro de uma tacinha. Fiquei de coração partido com a atitude dela. Ela olhou para mim e disse "E agora mamã, ele vai para o lixo?".

Eu disse-lhe que não. E é aqui que entra a mentira necessária para dar uma certa magia a algo tão triste. "Ele não vai para o lixo minha querida. Ele agora vai para o céu, vai fazer uma longa viagem e depois transforma-se numa estrela".

Ela olhou para mim e disse uma coisa que me comoveu profundamente "Ele vai para o céu mamã? mas ele depois cai"

Expliquei-lhe que ele não ia cair porque ia ficar numa daquelas nuvens brancas e fofinhas e que depois se tranformava numa estrela que iria brilhar muito.

Ela continuava a chorar e mais uma vez tocou o meu coração ao dizer "Coitadinho do meu Gorducho, ele estava tão bem aqui na nossa casa e agora morreu". E lavada em lágrimas foi a correr para a janela, olhou para o céu e perguntou "Onde está o Gorducho mamã? Não estou a ver nada."

Enfim, para mim que sou um coração mole não foi um episódo fácil. Disse-lhe que era uma longa viagem e que ele ainda ia a caminho. Só à noite é que lá chegava e se transformava numa estrela. Fiquei deprimida e trite o resto do dia mas sem nunca o demonstrar.

E lá fomos até à escola. Falei a sós com a educadora e expliquei-lhe o que se tinha passado. Ela deu-me os parabéns pela forma como expliquei as coisas. Foi uma boa explicação pois tanto serve para a morte de um peixe como para a morte de um passarinho... ou para qualquer outra.
Pedi à educadora para comunicar o sucedido ao resto do pessoal pois a Bonequinha agora está numa fase em que conta tudo o que se passa a toda a gente. Todos tinham que estar preparados para a conversa do dia.

E chegou da escola serena. Eu não lhe falei no assunto. Mas ela nunca se esquece de nada. Quando saiu do carro olhou para o céu e perguntou "Mas onde está a estrela do Gorducho mamã, não estou a ver nada?"

"Agora ainda é de dia, só à noite é que a sua estrela irá brilhar", disse-lhe eu mais uma vez.

E quando chegámos a casa após uma tarde de brincadeira e passeio, avistámos uma estrela no céu. Ela olhou. Eu disse-lhe que provavelmente seria o Gorducho. Mas ela numa voz triste e chorosa disse "eu não gosto que o meu Gorducho tenha ido para o céu. Eu queria ficar com ele mesmo morto na minha casinha"

Enfim, a seguir a isto lá vem a explicação que não podemos ficar com ele morto porque depois cheira mal... ele tem que se transformar numa estrela... enfim, não é fácil... as crianças crescem, as perguntas são cada vez mais... e elas não são parvas!... e minha pequenita fica a pensar nas explicações, e quando algo não lhe faz sentido ela quer saber tudo com mais pormenores... e daqui para a frente os pormenores exigidos vão ser cada vez mais!!... tenho muito que ler e aprender para estar à altura de tanta curiosidade!!

Mas antes de terminar tenho que dizer que de facto a verdade faz sempre todo o sentido. No outro dia um cão ia sendo atropelado quase mesmo à nossa frente. O meu coração gelou e tapei os olhos mas a minha filha viu tudo e começou logo a refilar " então e o dono?? o cão está sózinho? e a trela?"

Felizmente o cão safou-se...bufff

Mas nesse momento ela percebeu verdadeiramente o perigo da estrada. E agora sempre que vê um cão sem trela a passear com o dono, ela diz logo em jeito de sermão "Tens que por a trela, senão o cãozinho vai para a estrada e fica esborrachado".

E ralha com os donos e fica mesmo zangada!!! :-))))

Bem, mas a verdade é que hoje tenho estado trite e deprimida. Não pela morte do peixinho em si (ele coitado já estava a sofrer) mas sim pelo "episódio" em geral e pelas coisas que a minha filha disse de uma forma tão sentida e inocente.

Eu lido muito mal com a morte, acho que deviamos ser eternos... e tenho que fazer um esforço enorme para transmitir tudo com a ligeireza, suavidade e magia necessárias.
Gostava de acreditar nesta conversa das estrelas... confesso que gostava mesmo de acreditar...

Quero casar contigo mamã!

Eu não me canso de elogiar a minha menina. É tão querida, tão doce, um verdadeiro amor.
Depois de jantar temos sempre o ritual de lavar as mãos e os dentes. A piolhinha vai buscar o seu banco cor de rosa para chegar melhor ao lavatório. Lava os dentes (com a minha supervisão e respectiva ajuda final para matarmos os "bichos" todos) e a seguir lava sózinha as suas mãozinhas.

E à noite eu também tenho por hábito tirar do dedo a minha aliança de casada e deixo-a num cantinho do lavatório. A florzinha ao ver a minha aliança, agarrou-a e disse "toma o teu anel mamã". Então resolvi explicar-lhe que o nome correcto é aliança e disse-lhe: "Estás a ver meu doce, este anel chama-se aliança. O papá também tem uma igual, não tem?"

Ela disse-me que sim e eu continuei com a explicação. "A mamã e o papá casaram porque gostam muito um do outro. Quando casamos trocamos estes anéis que se chamam alianças. Eu dei uma aliança ao papá e ele deu-me uma a mim".

Ela olhou para mim com aqueles olhos grandes e doces, agarrou nas minhas mãos e disse-me com ar maroto e meio envergonhado: "Eu também me quero casar!"

Eu perguntei-lhe: "Queres casar? mas queres casar com quem?"

Ela respondeu: "Contigo mamã!"

Enfim, e mais uma vez agarrei-me a ela e enchi aquela cara de beijinhos!! coisa mais fofa da mamã!