terça-feira, 6 de março de 2012

Burocracias


A manhã de hoje foi passada a tratar de burocracias e prospeções de mercado... pesquisar, perguntar, apontar... mas finalmente fiquei esclarecida sobre uma série de questões que pairavam na minha cabeça. Porque eu sou das chatas, porque antes de tomar uma decisão pondero tudo e mais alguma coisa. Por isso mesmo, nunca me arrependo dos passos que dou porque quando avanço já vi, já mexi, já esclareci os porquês previamente equacionados.

E foi dia de contribuir (MAIS UMA VEZ!) para os cofres do estado. Lá fui eu até às finanças pagar o imposto único de circulação automóvel. Toca de abastecer o parquímetro de moedas porque pior que repor uma moeda é perder o lugar nas longas filas de espera das finanças. SIM, porque uma pessoa quando entra por aquela porta tem que respirar fundo e preparar-se psicologicamente para lá ficar meia hora ou a manhã inteira. É sempre uma incógnita.

E eu nem sei o que me irrita mais! se ter que meter moedas num parquimetro, cada vez que saio da minha zona residencial, ou pagar todos os anos o imposto automóvel.... ou renovar de dois em dois o dístico de residente.

Uma pessoa está constantemente a ser roubada. Assim que colocamos os pés fora de casa já estamos a pagar qualquer coisa. Se chegar aos 100 anos, como é o meu desejo, acho que ainda vou viver para pagar um imposto qualquer relativo ao oxigénio que consumo... e como pratico desporto vou ser taxada a valer porque a respiração ofegante assim o obriga.

Enfim... são estas algumas das coisas que me irritam. Algumas das coisas que me fazem ficar com cara de poucos amigos. Para já não falar na forma desprezível com que uma pessoa é atendida nos serviços públicos. Há excepções, pois claro, mas a maior parte dos funcionários públicos não devem nada à simpatia. Parece que estão a trabalhar por favor, parece que estão a fazer um frete... todos sabemos que estão a ser espremidos mas isso não é razão para atenderem as pessoas daquela forma cinzenta e carrancuda. A falta de profissionalismo é uma coisa que me tira do sério! Com tanta gente no desemprego, aqui andam estes mal encarados a atender as pessoas daquela forma. Deviam ter vergonha!

Esta manhã, ao longo da minha prospecção, tive que ir a vários serviços públicos e não fui atendida de forma simpática em nenhum deles. É impressionante!
Tive a sensação que estava a falar com robos humanos que se limitavam a debitar informações com uma enorme cara de frete. 

Enfim....

Mas mesmo assim tive sorte porque nas finanças só levei meia hora e não precisei de alimentar o parquímetro com mais uns cêntimos. Mas vim a "chorar" pois vim... a "chorar" pelos 54,06€ que lá deixei para pagar o tal imposto automóvel... custa-me tanto, a sério. Mal empregado dinheiro... mais uns euros para os bolsos do estado que tanto precisa... 

Sem comentários:

Enviar um comentário