domingo, 25 de março de 2012

Domingo de maratonas

Se o sábado fez cara feia, o mesmo já não se pode dizer do domingo que amanheceu luminoso e quentinho. Estavam assim reunidas as condições para aproveitarmos da melhor forma este primeiro dia de horário alargado. É óbvio que, tal como quase todas as famílias, também nós andámos sob o efeito do jet lag provocado pela mudança de horário :-)) Almoço às três da tarde, lanche às seis e jantar quase às dez. Mas isto foi a adaptação, amanhã já entra tudo nos eixos.

De manhã o papá foi correr e nós fomos desfrutar do ambiente desportivo que se vivia em Belém. Sinto-me como peixe na água nestes ambientes onde se respira saúde e desporto e faço questão de transmitir isso à minha filha para que ela comece a interiorizar o gosto por um estilo de vida saudável.

A Rafaela chegou a casa estusiasmadíssima e antes do almoço ficou desvairada de todo. Começou a correr pela casa a dizer que ia chegar à meta e que ia ganhar uma medalha. É tão doida!

Foi uma manhã animada, foi sim senhora :-) 

"O que é aquilo branco mamã?" É a meta!


A animação era grande e a piolha mal chegou fez-me aterrar na fila da OLÁ porque estavam a dar balões em forma de coração. E ali ficámos à espera da nossa vez. Só mesmo ela para me fazer estar numa fila ao sol... mas o que é que uma mãe não faz por um filho ;-)


Mas tenho que admitir que este espaço da OLÁ estava apelativo e original. Era uma praia com areia e chapéus de sol que dava nas vistas. No tecto pairavam inúmeros balões em forma de coração e nós tínhamos que os tentar apanhar com esta espécie de caça borboletas gigante.


A Rafaela olhava deslumbrada enquanto a mamã caçava dois balões num piscar de olhos ;-)


E aqui está a prova de que valeu a pena ter estado na fila... a piolha ficou radiante com os balões voadores presos ao pulso. Mas mesmo assim, segurava-os com unhas e dentes com receio que lhes acontecesse o mesmo que aconteceu ao pobre balão em forma de caracol que lhe comprámos há uns meses à porta do Alvito. Aqui a tonta da mamã não lhe deu um nó como deve ser e o balão fugiu assim que o comprámos. Nunca mais se esqueceu! "Coitadinho do meu balão caracol, onde é que será que ele anda? deve ter ficado preso numa árvore. Tu não o prendeste bem mamã! Ele era tão bonito!" e pronto, vou ser massacrada com isto até ao fim dos meus dias.


Mãe e filha com os seus cómodos All Star. Toca de ir para casa que a barriga já está a dar horas apesar dos geladinhos que os simpáticos promotores da OLÁ nos ofereceram ;-)


1 comentário:

  1. LOL!!! Também lá estive e também tive que aterrar à porta da olá :))) Ninguém calava o Gui por causa do balão.

    ResponderEliminar