terça-feira, 17 de abril de 2012

Governo quer proibir fumo nos carros com crianças


Aqui está uma medida com a qual concordo plenamente. O ministério da Saúde anunciou a semana passada no parlamento que o Governo vai proibir o fumo do tabaco nos veículos que transportem crianças, no âmbito do reforço das restrições ao tabagismo. Paulo Macedo, frisou ainda, que as restrições ao fumo em locais fechados vão ser apertadas.

Acho muito bem, pois claro. Não tenho nada contra os fumadores mas a liberdade de cada um acaba onde começa a dos outros, por isso mesmo, os fumadores devem ter consciência que ninguém é obrigado a respirar o fumo que eles tanto apreciam. Felizmente a sociedade tem evoluído bastante neste aspeto. SIM, felizmente, porque há uns anos atrás o cenário era bem diferente, quem não era fumador era obrigado a respirar constantemente aquele cheiro pavoroso em qualquer espaço público.

Eu odeio tabaco e tudo o que possa ser prejudicial à saúde. Sou apologista de mente sã em corpo são e jamais conseguiria consumir uma coisa que pudesse encurtar a minha esperança média de vida. E, por mais que queira, não consigo compreender como é que uma pessoa culta e informada pode continuar a fumar nos dias de hoje. Chamam-lhe vício, tudo bem, eu chamo-lhe estupidez e falta de amor próprio.

Antigamente fumar era fixe e os malefícios eram desconhecidos, por isso mesmo, todos nós éramos obrigados a sair de um espaço público com a roupa e o cabelo a cheirar a tabaco e os pulmões cheios de fumo alheio. E se uma pessoa se mostrava incomodada com o tabaco da mesa do lado era crucificada de imediato pois os fumadores é que tinham razão, eles estavam no seu direito, eles podiam poluir o ambiente à vontade e nós, tótós saudáveis, tínhamos que respirar e calar.

Imaginem, podem estar dez pessoas numa sala, se uma delas puxar de um cigarro o ambiente que se respira já não é o mesmo. Então porque raio as nove pessoas têm que levar com o fumo de uma?????

E o mais grave é que os fumadores não têm consciência que o cheiro do tabaco é altamente repugnante para quem não fuma. É UM HORROR!

Felizmente a sociedade e a lei têm evoluído em prol da saúde pública. Ainda me lembro do meu marido chegar a casa furioso porque gramava o dia inteiro com o fumo do tabaco dos colegas de trabalho. Passar o dia inteiro enfiado em frente a um computador,  rodeado de colegas fumadores é um pesadelo, é sim senhora. Ninguém merece!! o desgraçado chegava a casa a tresandar a tabaco todos os dias. Ele, que é um desportista nato, ele que participa em maratonas e que tem como "vício" o ginásio e o atletismo. Não é justo, pois não. Anda uma pessoa a ter cuidado com a saúde e depois tem que ser fumador passivo à força???.... francamente.

Eu pelo menos neste aspeto não me posso queixar pois sempre trabalhei em empresas onde os fumadores eram encostados à parede pela malta saudável. Querem fumar, tudo bem, mas vão lá para fora! Ainda bem, pois tenho a certeza que me ia passar dos carretos se tivesse que estar enfiada numa sala todo o santo dia a levar com o tabaco dos outros.

Gostavam que eu levasse um saco de fraldas sujas para o local de trabalho ou para um restaurante??? ou que tal começar a queimar papeis num espaço público? ou lançar umas bombinhas de mau cheiro? tudo isto parece horrível, não parece?? mas com isto quero dizer que, para quem não fuma, o fumo do tabaco incomoda tanto (ou ainda mais) que qualquer um destes odores e ainda por cima é prejudicial à saúde.

Em suma, não sou a favor da caça ao fumador porque sou uma fervorosa apologista da liberdade, acho que cada um é livre de fumar e de se matar da forma como entender, mas que o faça longe dos outros porque a nossa liberdade acaba onde a dos outros começa.


PARTICIPEM no PASSATEMPO AngelLuzinha + Doçuras da Patty. Cliquem AQUI.

2 comentários:

  1. Fui fumadora durante 15 longos anos. Chegava a fumar dois maços por dia e nunca pensei cortar com esta dependencia de um dia para o outro, mas foi o que fiz assim que descobri que estava grávida. Tive ataques de ansiedade, engordei imenso, refugiei-me na comida e na desculpa de estar grávida para comer tudo o que me apetecia. Hoje sou mãe de um menino de seis anos e nunca mais toquei num cigarro. Hoje sinto a tal repugnância de que fala quando vejo alguém fumar ao pé de mim. Eu sou a prova de que é possível cortar com um vicio, basta querer e ter muita força de vontade.
    Manuela Fontes Semedo

    ResponderEliminar
  2. Não devia ser o governo a proibir uma coisa dessas. Isso devia partir do bom senso e da consciência de cada um. Ana Maria.

    ResponderEliminar