segunda-feira, 16 de julho de 2012

Bolas há muitas

Ontem fomos à praia e vivemos um pequeno drama familiar quando a bola da nossa Luzinha foi levada pelo vento. O papá estava à beira mar e eu estava a jogar à bola com a piolha porque estar quietas não é connosco!... mas o maldito vento resolveu estragar o jogo levando a bola mar adentro, deixando a Rafaela num pranto terrível. O papá foi um valente e ainda mergulhou na água gelada para tentar recuperar a dita cuja mas sem sucesso porque nem um nadador olímpico conseguia superar a velocidade de uma bola ao sabor daquele vento feroz :-(

E ali ficou a Luzinha à beira mar num pranto de rachar o coração "a minha bola!!! agora nunca mais a vou ver! agora vou ter muitas saudades dela! coitadinha da minha bola".

Em seguida, o mar levou a bola de outro menino e a Rafaela ainda chorou mais. "O mar hoje está a levar as bola das crianças mamã!", dizia ela numa aflição enorme.

"Deixa lá Rafaela, assim a tua bola já não fica sozinha. Agora a bola do menino vai fazer companhia à tua lá longe no oceano", dizia-lhe eu enquanto lhe explicava que o problema não é o mar mas sim o maldito vento que não dá tréguas. Mas lá a acalmei dizendo-lhe que bolas há muitas e que o melhor que ela tinha a fazer era agradecer ao papá por ter sido tão valente ao ter nadado até tão longe para tentar salvar a bola. "Bolas há muitas Rafaela, mas papá só há um", disse-lhe eu. Aliás, faço questão que ela vá interiorizando este pensamento. Estou sempre a dizer-lhe que em primeiro lugar se deve dar valor às pessoas e não às coisas porque coisas há muitas e as pessoas são únicas.

E ela, na sua santa inocência, já vai alcançando esta maneira de ver a vida. Secou as lágrimas rapidamente e disse "é verdade mamã, tens razão, bolas há muitas mas papázinho querido só há um e ele foi muito corajoso".

Esta é a minha maneira de ver a vida e quero que ela cresça com esta percepção. Eu nunca fui uma pessoa materialista e com o passar dos anos a minha essência é cada vez mais espiritual. As coisas trazem-nos uma felicidade oca, o importante são as pessoas e os momentos fantásticos que a vida nos proporciona, momentos de ouro que nos carregam as baterias e nos dão força para seguir em frente nos momentos mais difíceis. 

E é em momentos como os de hoje que o meu espírito ganha asas porque adoro observar a simplicidade e a liberdade com que as crianças vivem a vida. Fui comprar-lhe uma bola de praia nova e a sua carinha rejubilou de felicidade. Agarrou-se a mim e exclamou várias vezes no seu jeitinho super meigo "Mamã, tu és a maior". E aqui a mamã fica a pingar baba com tanto mimo que recebe da sua pequena cria ;-)

E depois da sesta lá fomos as duas para o jardim testar a bola nova. A felicidade com que ela brinca fascina-me!... as corridas, os sorrisos, os gritinhos de alegria, os abraços carinhosos em torno do meu pescoço, os beijinhos que me deixam a cara toda babada, as palavras doces ao meu ouvido... my love, my light, my life.

Anda cá bola! não fujas!

Adoro ver o meu vestido a rodar! Olha mamã, pareço uma princesa! olha!

Este eucalipto caiu e agora está a ser cortado às "fatias" para ser transportado. Uaúúúú é enorme!

Mamã, olha aquelas flores cor de rosa tão lindas! vou dar-lhes um miminho ;-)

A refrescar as mãozinhas 

2 comentários:

  1. Gosto particularmente destes posts em que fala da sua filha. Revejo-me em muitas das suas palavras e na forma como educa a sua filhota que é um encanto de menina. É bom que cresçam com esses valores bem presentes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pelas suas palavras Carlota.
      Cada uma de nós tenta ser a melhor mãe possível, não é? e o fascinante disto tudo é que estamos sempre a aprender ;-)

      Eliminar