terça-feira, 18 de setembro de 2012

O respeitinho é muito bonito


Admiro imenso os profissionais que lidam com crianças e é com pena que vejo o estatuto de professor cair diariamente. Os professores são actualmente uma classe nómada à qual muita gente não dá qualquer valor. Antigamente os professores eram respeitados, admirados e seguidos mas hoje em dia verifica-se precisamente o contrário e muito por culpa de certos pais que não incutem nos filhos o respeito pelo próximo.

Ser professor, nos dias que correm, deve ser das profissões mais difíceis de gerir porque os pais são os primeiros a dificultar a sua tarefa. Antigamente, se uma criança se portava mal, os pais eram os primeiros a dizer ao professor que a punisse porque o respeitinho é muito bonito. Mas hoje em dia, se o professor ousa levantar a voz ou castigar, lá vêm os pais pedir satisfações porque os seus queridos filhos mal educados não merecem tamanho tratamento.

Eu neste aspecto sou intolerante e acho que se uma criança se porta mal deve ser chamada a atenção e castigada pelo que faz. Detesto má educação. A Rafaela anda na escola desde os 5 meses e já nessa altura eu lhe dizia "porta-te em condições bebé!". A educadora até se ria! 
Hoje, a caminho dos 5 anos, continuo a dizer-lhe o mesmo todos os dias de manhã quando a deixo na escola. Com 5 meses não percebia (pois claro!) mas agora já percebe e já sabe que a mamã e o papá não toleram má educação. Por vezes penso se não serei demasiado exigente com ela mas depois verifico que estou no bom caminho pois os resultados estão à vista. A Rafaela é uma menina cheia de energia mas extremamente meiga e educada e quando pisa o risco temos castigo. Raramente se porta mal na escola mas quando isso acontece já sabe que tem castigo quando chega a casa para perceber que não andamos aqui a brincar. E tem que ser assim porque as crianças adoram esticar a corda e se não formos firmes agora, daqui a uns anos será uma desgraça. 

É aos pais que cabe a tarefa de educar, os professores estão lá para ensinar. As bases têm que ser dadas em casa, é em casa que tudo começa. Isto para dizer que um dia destes observei uma cena lamentável numa fila da caixa do supermercado entre pai e filho. O filho fazia uma birra monumental. O pai olhou para ele e exclamou aos gritos "Tu a mim não me levantas a voz, ouviste? Tu a mim não me gritas, ouviste? Se queres gritar vai gritar lá para a escola com a tua professora!"

Enfim, eu detesto criticar seja quem for porque todos temos telhados de vidro e a minha Rafaela também tem feito birras jeitosas juntos das caixas dos supermercados que estão cheias de guloseimas que são um desespero para os pais que aguardam pela sua vez. A crianças detestam esperar e ao verem aquelas porcarias ficam histéricas. Por mim acabava-se de vez com aquela trapalhada junto às caixas e ponto final. Também é verdade que eu tenho uma paciência de santo mas também perco as estribeiras (como qualquer mãe!) porque a Rafaela às vezes leva-me mesmo à loucura. Mas quando me salta a tampa tenho cuidado com o que digo porque sei que o exemplo tem que partir sempre de mim. Por tudo isto, confesso que fiquei chocada com as palavras daquele pai que revelaram uma estupidez assustadora. Como é que esta criança pode respeitar alguém com um pai assim? como é que esta criança pode respeitar um professor se o próprio pai lhe diz que se quer gritar que o faça na escola com a professora?????

Aqui quem merecia um valente castigo era o pai... mas é assim... são estes os adultos de amanhã... já não basta aos professores terem que lutar constantemente por melhores condições de trabalho como  ainda têm que levar com a estupidez e a imbecilidade de certos pais...

O blog AngelLuzinha também está no facebook aqui

3 comentários:

  1. Subscrevo todas as suas palavras....!!
    Por vezes também penso ser muito exigente com o meu filho (4 anos) mas depois vejo cada coisa que rapidamente percebo que não estou errada!!Trabalhei algum tempo com crianças e confesso que vi cada episódio mais assustador...Na hora em que os pais chegavam para ir buscar os filhos...as crianças simplesmente se transformavam!!!Credo, como era possível??Um menino,ou menina que durante o dia não dava grandes problemas, ter um comportamento tão diferente na presença dos pais??E não estou a falar de um "comportamentozinho" menos aceitável,não! Estou mesmo a referir-me a episódios de birras " de cair o telhado"...enfim! A educação começa de facto em casa e agora pode-nos custar castigar ou ser as "más da fita"...mas mais tarde os nossos filhos vão compreender e agradecer-nos por isso! Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida Ana! birras todos fazem por isso cabe a nós, pais e mães, contornar essas situações de forma civilizada, temos que dar o exemplo porque daqui a uns anos já pode ser tarde demais. Por momentos somos as más da fita mas mais vale chorarem eles do que nós!

      Eliminar
  2. eu,,querida ando,,,de cabeça ao ar com minha Maria Eduarda de 3 anos e 2 meses,,essa menina anda a me tirar o serio !!!! birra por tudo e mais alguma coisa: porque nao quer volta do parque , porque nao ´que sair da casa da amiga, porque nao que comer a sopa( começou com essa de nao querer a sopa agora !! aff eu toda orgulhosa que ela tomava sopa com gosto...), agora ta nisso ,,por dias vou dormir com dor de cabeca das birras dessa miuda!!!MAS VOU LENDO INFORMAÇÃO DAQUI AJUDA DALI,,E COM AMOR VOU APRENDENDO A EDUCA LA, TEM QUE SER!!

    ResponderEliminar