segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Mulheres portuguesas: As fotografias da Sara T.

Revi-me nas palavras da Sara T assim que ela me contactou para me dar a conhecer o seu trabalho pois também eu comecei desde cedo a fotografar e a andar de máquina em punho. Por vezes já ninguém me podia aturar pois eu andava sempre a tirar fotos, em busca da melhor luz e do melhor ângulo. Comprar rolos, fotografar, revelar, ir buscar o resultado final.... tudo isto me fascinava! e hoje com 36 anos esta paixão está-me entranhada na massa do sangue e agravou-se no momento em que fui mãe! ahhh pois! porque agora para além dos amigos, família, paisagens, objectos, e blá blá blá, tenho ainda uma filha que adoro fotografar!... isto nasce com a pessoa e mais nada! já o meu marido é o oposto e detesta tirar fotos... e por vezes é ele que me chama à razão e me põe travão porque acha que é demais... mas a verdade é que escrever e fotografar são as coisas que mais gosto de fazer nesta vida (para além do desporto e comprar roupa para a minha filha! eh eh eh!).

A Sara T também tem esta paixão e hoje é uma profissional extraordinária. Em pequenina adorava brincar com as máquinas de plástico, aquelas em que se vê uma imagem quando espreitamos. Mais tarde teve a sua primeira máquina verdadeira "pequenina preta e fininha" que fez as suas delicias. Fotografava os pais e as paisagens mas os rolos eram um problema porque eram caros e os pais tinham que lhe esconder a máquina por uns tempos porque não havia dinheiro que chegasse para tanta revelação. Aos 12 anos o pai emprestou-lhe a sua máquina analógica e a Sara sentiu-se verdadeiramente crescida. A máquina passou a morar no seu quarto e o pai não achou piada, por isso resolveu comprar-lhe uma máquina analógica baratucha e vermelha. A Sara não gostou da cor e deixou a fotografia por uns tempos mas o bichinho permaneceu.

A Sara cresceu, fez-se uma mulher, casou e foi morar para a Holanda (onde reside actualmente). Foi lá que conheceu o fotógrafo de moda Robbert Beck. Trabalhou para ele como assistente e começou a fazer os seus primeiros trabalhos com a sua Minolta. Tinha um tema por semana mas Robbert era muito exigente e estava sempre a criticar as suas fotos. Não lhe dizia como fazer, apenas se limitava a dizer o que estava mal. O primeiro trabalho que lhe foi atribuído foi sobre a Mona Lisa e a Sara encontrou na internet uma boa ferramenta de pesquisa. Aprendeu a ler a luz, de onde vem e como a podemos esculpir e começou a estudar fotografia. A internet, os livros, as pinturas, os livros e os ralhetes do Robbert fizeram-na crescer e evoluir dia após dia. Em 2008 o seu marido ofereceu-lhe uma Canon 450D e em setembro de 2009 abriu a sua empresa, a Sara T Photography

A Sara ama o que faz. Adora por os seus clientes à vontade e contar as suas histórias através da arte de fotografar. É uma pessoa muito sensível a tudo o que a rodeia e é completamente apaixonada pela vida e por aqueles que ama. Adora fotografar moda, barriguinhas, bebés, crianças, famílias, love shoots (engagement, trash the dress), etc, etc, etc. Mas no fim reconhece que não são as máquinas que tiram as fotografias mas sim as pessoas, a alma que está pode detrás da câmera. Nas suas fotos capta todo o sentimento do momento para que passados anos, quando forem tiradas do baú, se revivam de uma forma única e inesquecível. 

Aqui fica uma pequena amostra do seu maravilhoso trabalho. Para ficarem a conhecer tudo basta espreitarem  à página no facebook aqui e ao site aqui





Sem comentários:

Enviar um comentário