quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Depois da tempestade vem a bonança ♥

São 22h39. Se eu tivesse juízo ia mas é sentar-me ali no sofá tapadinha com uma manta a ler um livro com as pernas esticadas em cima de um banco para descansar este esqueleto que implora descanso. Ou então ia meter-me na cama pois não há nada melhor que uma boa noite de sono para recuperar energias. A verdade é que o dia de hoje foi sempre a abrir e nem tive tempo de passar aqui pelo meu cantinho cor de rosa que é uma espécie de filho virtual para mim. Hoje baldei-me e ele pede miminhos. Por isso mesmo, aqui estou eu a teclar pois no fundo é esta a minha maneira de relaxar. A Luzinha dorme, o papá mata monstros na x-box e eu escrevo, edito e vejo as fotos do dia. Um dia que começou mal com uma Rafaela rabugenta, chata, chorona e muito teimosa. A madame tem o privilegio de acordar por ela própria, ao contrário da maioria das crianças que se vêem obrigadas a saltar da cama muito cedo porque as mães têm que seguir para os empregos, mas nem assim se evita a rabujice. Acorda por volta das 9h00 e às 9h30 está na escola que é do outro lado da rua, dois minutos a pé. Mas a verdade é que há dias em que nesta simples meia hora me consegue dar cabo do juízo. Hoje foi um deles. Acordou e desatou logo num pranto porque perdeu o rumo ao pónei cor de rosa (do que se havia de lembrar!). Depois seguiu-se o vestir que é algo cada vez mais complicado. Eu até escolho a roupa na noite anterior para ganhar tempo mas nem isso me safa pois há dias em que ela se recusa a vestir aquilo que escolhi. Está cada vez mais esquisita e senhora dos seus gostos (tem a quem sair, lá está!). Hoje deu-lhe para embirrar com os collants, dizia que lhe picavam (nunca se tinha queixado de tal!), depois não queria vestir a camisola de meia gola porque lhe fazia impressão no pescoço e não queria o bolero porque as mangas têm dois centímetros a mais e ela detesta ter que as dobrar. Deve pensar que a mamã vai cair na conversa de comprar roupa à justinha para lhe deixar de servir no mês seguinte. Chorou, gritou, praguejou... e eu a respirar fundo e a fazer das tripas coração para me controlar e não desatar aos gritos também.... ou para não lhe dar uma palmada naquele rabo que no fundo era o que ela precisava. Via os minutos a passar e ela nesta palermice... e eu com uma manhã cheia de compromisso aqui e ali. Lá acabou por se deixar vestir mas a birra continuou na escolha dos acessórios para o cabelo. Hoje não queria ir de laço. Hoje queria uma bandolete. E para ali andou a esgravatar sem saber qual escolher.

"Pode ser esta mamã?"

"Ohh Rafaela, por amor de Deus! achas que essa bandolete fica bem com o que tens vestido? achas que combina com alguma das cores? quantas vezes tenho que te explicar que os acessórios devem condizer com o resto?

"Está bem mamã. E esta? e o que achas daquela?"

"Olha Rafaela eu já não quero saber! escolhe a bandolete que quiseres! eu só quero que te despaches! os teus colegas já estão na escola há que tempos e tu andas aqui a escolher bandoletes! francamente!"

Enfim. Só vos digo que fiquei de nervos em franja. Uma meia hora de loucos logo pela manhã. E depois desta tourada agarrou-se a mim a pedir desculpas e a encher-me de beijnhos. Enfim, a sorte dela é ser um doce de menina, a meiguice em pessoa... mas uma pessoa fica doida. Às 9h35 estava na escola e eu tive que arregaçar as mangas porque tinha à minha espera uma to do list gigante. Ainda para mais pediram-me para escrever um artigo para ontem e eu detesto estas coisas... a falta de organização de certas pessoas mexe comigo. Só sei que às 15h00, quando a fui buscar, já ia de rastos e com receio que o mau humor matinal da bichinha se mantivesse. Felizmente enganei-me! yuppiiii!!! veio ter comigo de sorriso nos lábios e ficou toda contente quando lhe perguntei se queria ir dar uma voltinha até Belém. O dia estava frio mas soalheiro e eu precisava mesmo de espairecer, para além disso, temia ir para casa não fosse ela lembrar-se outra vez do maldito pónei, o tal que anda desaparecido no país dos brinquedos (leia-se o seu quarto). E foi uma tarde pacifica, sem teimosias de maior. Lá fomos as três, eu, a princesa e a boneca Laranjinha. Acho-lhe imensa piada pois ela tem sempre que andar com uma boneca debaixo do braço. Muito gosta elas dos seus brinquedos, é uma coisa mesmo querida de se ver. Lá se deliciou com o leite e com o belo do pastelinho enquanto falava, falava, falava e mimiva a sua Laranjinha com uma colherzinhas e umas migalhinhas. E ainda brincámos por aqueles jardins enquanto o sol não desapareceu no horizonte 








Bandolete- Accessorize / Bolero- Zara / Camisola de meia gola- Lanidor / Saia- Benetton / Collants- Calzedonia / Carneiras- Coutinho


O blog AngelLuzinha também está no facebook aqui

2 comentários:

  1. Ui! Como eu me revi no seu post...a diferença é que a minha "Princesa Juju" ainda só tem 2 anos e meio, até estou com medo!Que personalidade santo Deus, e depois o papá para ajudar ainda diz: "a quem é que ela sairá? É teimosa como a mãezinha dela" :-)
    Haja paciência...
    Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eh eh eh! então prepare-se! e a verdade é que elas não saem às pedras da calçada :-)))) são o nosso espelho, pois claro... mas não é fácil.
      O meu marido costuma dizer que não sabe qual das duas é mais chata!! ... eh eh eh! homem sofre :-DD
      beijokas e um bom fds também para si e para a princesinha refilona ;-)

      Eliminar