quinta-feira, 11 de julho de 2013

Monstros reais #2

Confesso que não sei muito bem como começar a escrever este post porque é um assunto que mexe muito comigo. O ser humano tem tanto de inteligente como de cruel e quem maltrata inocentes só pode merecer o meu desprezo total. A crueldade gera em mim um sentimento agoniante de revolta e uma vontade de ter super poderes para acabar definitivamente com este tipo de gente à face da terra. Quem me conhece sabe que sou uma pessoa peace and love, não chateio nem desejo mal a ninguém mas quem faz uma coisa destas merece arder no inferno.

E sendo mãe de uma Fada dos Animais, passei a estar ainda mais atenta à bicharaca porque a Rafaela tem um coração de ouro e assim que avista um bicharoco fica parada para o mimar, observar ou socorrer. "Não pises, não esmagues, cuidado!"... e se tenho o azar de encontrar muitos cães pelo caminho já sei que vou levar o triplo do tempo a chegar ao destino porque ela para-se para lhes fazer festinhas, mete conversa com os donos e ficamos a saber a história de todos eles.

E foi isso que aconteceu com a doce Amélie. Avistou-a no jardim de Oeiras e foi logo a correr para lhe fazer uma festinha. Contudo, a dona explicou-lhe que era melhor ter cuidado porque a cadelinha só estava com eles há 3 semanas e ainda não sabia como é que ela reagia a outras pessoas depois do trauma que apanhou. TRAUMA???? mas o que é que aconteceu?

A Amélie foi adotada por este simpático casal e respetivo filhote que a encontraram abandonada (e à beira da morte) no rio que corre no jardim. Mãe e filho estavam na brincadeira quando ouviram um ligeiro gemido. A A. foi ver o que se passava e nem queria acreditar quando se apercebeu que lá em baixo (no meio da água e dos paus) ESTAVA uma cadelinha amarrada com uma arame à volta do pescoço e presa a uma pedra!!!! A A telefonou logo ao marido, pediu ajuda e rumou em direção ao leito do rio para a salvar daquele cenário medonho. Já não se conseguia por de pé, estava desidratada e esfomeada. Assim que lhe deu de comer devorou tudo e fartou-se de vomitar tal era a fraqueza.

A A e o R já não a largaram e correram com a bichinha ao veterinário. Diagnóstico: A Amélia (como carinhosamente a batizaram) esteve longos dias em tremendo sofrimento. Lutou arduamente para não morrer afogada e para se ver livre do arame que a sufocava e a prendia à pedra. Pesava apenas 900 gramas, o pêlo caia à mão cheia e já estava cega do olho direito (uma cegueira recente causada provavelmente por uma das ratazanas que andam no rio). 

Felizmente há Anjos na terra e esta família não desistiu, adoptou a cadelinha, batizou-a, deu-lhe cuidados médicos, uma casa e muito amor. Em seu torno gerou-se também uma onda de solidariedade assim que a A partilhou a história no facebook. 

E hoje esta cadelinha amorosa é uma yorkshire feliz, brincalhona e super meiga. Não gosta de estar sozinha (tadinha, teme ser abandonada de novo) e assim que avista alguém refugia-se timidamente junto à dona. Leva tempo a fazer novos amigos mas quando ganha confiança revela o seu espírito divertido e doce como e mel. 

Há histórias que têm uma final feliz e esta (felizmente!) é uma delas! A Amélie é agora a princesa  lá de casa (já tem montes de roupa, acessórios e coleiras com muita pinta!) e é também a grande companheira do R de 4 anos que não a larga nem para dormir! Uma família 5 estrelas que adorei conhecer! Seres humanos maravilhosos que fazem agora parte da nossa vida pois a Rafaela não quer perder de vista esta doce bichinha que se enrosca ao seu colo e lhe pede carinhos. O pior é na hora de vir embora... lava-se em lágrimas porque também gostava de a trazer para casa 

E aos monstros humanos só desejo o pior. Quem faz uma coisas destas não merece perdão... se não queriam a bichinha davam-na para adoção mas atirar a inocente para o rio com um arame e uma pedra ao pescoço... é inqualificável... que eu nunca veja ninguém fazer uma coisa destas à minha frente... nunca...


Fotos cedidas pela A, mãe do R e dona da doce Amélie

AngelLuzinha no facebook aqui

8 comentários:

  1. A minha filha é igual...felizmente a Amelie tem uma vida feliz pela frente!

    ResponderEliminar
  2. É linda a Amélie! Parabéns a essa familia que tem tão bom coração. Eu sempre tive animais e custa muito pensar que há pessoas capazes de fazer estas coisas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é Joana... custa mesmo... mas infelizmente há gente capaz de tudo :-(

      Eliminar
  3. tenho um cão a quem as minhas filhas lhe deram o nome ruca que também foi abandonado numa retunda em aveiro os antigos donos que para mim não passam de mostros cruéis porque o destino que lhe queriam dar era que o ruquinha (nome pelo qual eu carinhosamente o trato) era que ele morre-se atropelado porque a retunda onde foi deixado é uma das mais movimentadas da cidade,felizmente uma amiga minha conseguio resgata-lo bem ,sem que ele tivesse tido algum ferimento.eu em conversa com essa minha amiga tinha lhe dito que gostava de ter um cão até porque tenho 2 filhas e ambas adoram animais e já me tinham pedido um.ela ligou-me no dia em que o resgatou da rua a pergutar-me se eu o queria, de imediato lhe disse que sim e para ela mo trazer até mim.Nos primeiros minutos que o vi fiquei logo apaixonada pelo meu ruquinha,é lindo o meu cão é o melhor amigo das minhas filhas onde elas vão ele vai também,brinca com elas como se não houvese amanhã...só tenho pena que não haja nenhuma leí que dê uma grande punição aqueles mostros que abandonam os seus animais,que esses sim são-nos fieis e nunca nos abandonam...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que horror Paula! felizmente o Ruquinha também teve muita sorte♥
      Essas pessoas mereciam que alguém lhes fizesse exactamente o mesmo que elas fazem aos pobres animais. Seria o castigo mais justo! quem faz isso não merece qualquer perdão... para mim é um crime da pior espécie e merece uma bela punição.
      Será que conseguem viver de consciência tranquila depois do que fizeram?... que horror :-(

      Eliminar
  4. Obrigado por o lindo texto que escreveu da minha doce Amélie, sem duvida que ela é uma grande lutadora com um coração enorme. Hoje passados 2 meses ela nem parece a mesma, super brincalhona mais um bocadinho sociável e aumentou o peso.
    Um beijinho gigante para vocês e em especial para a Rafaela.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beijinho grande para vocês também e até breve ;-)

      Eliminar