segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Ser mãe é... #4

Deparar-me com uma conversa destas enquanto jantamos:

Rafaela: "Mamã, o que é um puto?
Eu: "Um puto é um menino pequeno. É uma forma de dizer rapazinho. Por vezes os manos mais velhos chamam putos aos manos mais novos como é o caso do teu amigo Tomás".
Rafaela: "Ahhhh, estou a perceber! Os meninos são putos! Então o papá também é um puto?"
Papá: "Não, o papá já foi puto, agora é um homem"
Rafaela: "Ahhh, pois! O papá já é grande! Então eu sou uma puta porque sou uma menina!"

Eu e o papá olhámos um para o outro e esboçámos um enorme sorriso (meio atrapalhados!) perante tamanha inocência. E a conversa continuou:

Eu: "Não meu anjo, os meninos são putos mas as meninas não são putas. Puta não quer dizer menina pequena. Puta é uma mulher que se porta mal, que faz coisas feias. Para além disso é um palavrão, uma asneira, uma palavra muito feia. As meninas educadas como tu não dizem estas coisas"
Rafaela: "Ohhhh desculpa mamãzinha mas eu não sabia!"
Eu: "Não faz mal minha querida! Eu também já fiz perguntas dessas quando era pequenina. Por vezes chegava a casa a dizer coisas feias que ouvia na escola ou na rua e os meus pais explicavam que aquilo não se dizia. É normal! Ninguém nasce ensinado!"
Rafaela: "Então se os meninos são putos, as fêmeas são o quê??? Qual é a palavra certa??"

Eu fiquei a pensar e não me ocorreu nada... mas o papá avançou:

Papá: "As meninas são pitinhas"

E a conversa ficou-se por aqui com todas as dúvidas devidamente esclarecidas (felizmente!) porque uma pessoa até tem "medo" do que possa vir a seguir...


Rafaela: Óculos Chicco / vestido MIM

AngelLuzinha no facebook aqui

8 comentários:

  1. Adorei, adorei...

    Conversa deliciosa, creio que o feminino de puto é pitita (Menina jovem.) ou petiza.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  2. A Rafaela é o máximo! O que eu ri ao ler isto! Beijinhos <3
    Magda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem me digas nada Magda! quando ela começa com estas dissertações uma pessoa até "treme"! nunca se sabe o que é que vai dali sair :-))) beijinho grande para vocês também*

      Eliminar
  3. Os miúdos têm cada coisa... No outro dia fui com a minha ao C. Comercial e estava á uma exposição de trabalhos de alunos da escola secundária. Eram telas com aplicação de vários materiais corriqueiros. Uma delas tinha um canto cheio de preservativos (devidamente enrolados, como que tirados da embalagem).
    A minha filha que ia com toda a atenção aos trabalhos olhou para aquela e perguntou logo ali o que era aquilo. Claro que enquanto o meu marido se ria, eu tive de fazer o ar mais desligado do mundo e dizer: "são peças de borracha, o autor lá achou que ficava bem ali" e passei de finhinho para outra obra...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ui Ui!! e foi o melhor que fez ;-))) essa resposta dava pano para mangas! o melhor (por enquanto) é mesmo passar de fininho :-))
      beijokas*

      Eliminar
  4. Com a idade as perguntas tornar-se-ão mais incómodas. Mas explicar-se-lhes sempre tudo como deve ser, nunca deixar nada por esclarecer.
    Por mais embraçosa que seja, ter sempre uma resposta e de preferência a verdade. Sempre assim fiz com os meus filhos. Mas há alturas em que temos que pensar um pouco no que responder.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente Carlota ;-) a verdade acima de tudo. Sempre lhe expliquei tudo com base na verdade, até mesmo aqueles assuntos mais complexos. O pior é quando ela me questiona sobre a morte, começa a fazer perguntas para as quais não tenho resposta (nem eu nem ninguém! o que está para lá é uma incógnita!)... nesses casos a coisa complica-se porque ela quer saber mais e mais e eu não tenho respostas para lhe dar... para além de ser um assunto que mexe imenso comigo... por mim éramos todos eternos :-))

      Eliminar