quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Não há vidas perfeitas...

A distância geográfica que me separa dos meus pais é algo que mexe sempre comigo. Todos os dias falamos por telefone mas não é a mesma coisa. Hoje, depois de ter falado com a minha mãe, a saudade apertou a valer. Já vivo em Lisboa há 19 anos mas todos os dias tenho pena de os ter tão longe. Amo Lisboa, foi amor à primeira vista assim que entrei para a faculdade. Quando "aterrei" aqui aos 18 anos senti que nunca mais iria querer voltar para trás. Aqui  a vida não pára e há sempre algo para descobrir. Mas não há vidas perfeitas e a minha não é excepção. Para ser perfeita teria que os ter junto a mim. Custa-me pensar que a vida passa rápido e que perdemos momentos valiosos juntos. Momentos que não se tornam a repetir. Momentos que decidi eternizar através do blog quando a Rafaela nasceu. O blog nasceu da minha necessidade de partilhar com os meus pais o meu dia-a-dia com a bicharoca fofinha. Aliás, o blog nem era público mas um dia fiz asneira nas definições (na altura nem sabia mexer bem nisto!) e tornei-o público sem me aperceber... só me dei conta quando vi que tinha uma seguidora registada... e entrei em pânico! Alguém a vasculhar a minha vida? Seria um hacker? Um tarado? Um pedófilo? E nesse momento tudo mudou. Tomei decisões. Fiz alterações. E cresceu, cresceu, cresceu... e continua a crescer todos os dias... e faz parte de mim como o sangue que me corre nas veias. É o reflexo da minha alma. A essência permanece inalterada. É um confidente, um amigo, um amor, um vicio, uma terapia, uma partilha, um legado, uma forma de estar na vida. Gosto de me sentar aqui, contemplar as fotos e escrever, escrever, escrever como se de um diário se tratasse. Gosto de lhes mostrar as novidades da sua única e adorada neta. Em breve estaremos todos juntos. Só espero que o tempo ajude e que a doida da Rafaela não faça asneira como fez em julho onde me deixou à beira de um ataque de nervos quando partiu o queixo e foi lavada em sangue para aqui. E eu a pensar que ia conjugar trabalho e descanso numa calmaria fantástica! Dei por mim em stress total, isso sim!

E é a vida. Para ser perfeita bastava ter o Alentejo mesmo aqui ao lado para lhes dar uma beijoca sempre que me apetecesse. Eu e a mania da perfeição! Com 37 anos já devia ter percebido que é apenas uma utopia...
Perfeito é ter uns pais como os meus! Estão longe mas somos mais unidos do que muitas famílias que vivem lado a lado. 
Perfeito é saber que tenho um marido e uma filha que amo loucamente.
Perfeito é viver nesta cidade que me faz vibrar. 
Perfeito é saber que estamos todos bem apesar dos quilómetros que nos separam.
Perfeito é ir agora para a cama com o coração cheio de sentimentos maravilhosos que só o amor e a família me conseguem proporcionar.

E desligam-se as luzes e prepara-se o espírito para um novo amanhã 


AngelLuzinha no facebook aqui

4 comentários:

  1. Simplesmente fantástico, o teu testemunho!!!!
    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. :) e vês como tens uma vida perfeita? :)
    Mas eu compreendo o que dizes :) beijinhos e força aí com essa nostalgia. É o outono já a fazer das suas :P

    ResponderEliminar
  3. Que giro! Não sabia que o blog tinha surgido dessa forma, até fiquei comovida. Bendito o dia em que fez "asneira" porque amo passar por aqui todos os dias. E quanto à saudade, essa faz parte da vida e compreende-se perfeitamente. Pais só há uns!

    ResponderEliminar
  4. E só lhe peço que continue assim sempre fiel à sua essência porque as suas partilhas são dignas de ser públicas. Não é há toa que tem um legião de leitoras, sente-se paixão nas suas fotos e em tudo o que escreve e isso faz toda a diferença.

    ResponderEliminar