domingo, 6 de abril de 2014

Weekend moments

Desta vez, com muita pena minha, não pude aceitar o convite do Continente para estar presente na recolha de alimentos da Missão Sorriso (como estive aqui no Natal passado) porque já tinha compromissos agendados para a hora prevista, contudo, não hesitei em dar a minha contribuição através da divulgação e da oferta de bens alimentares (numa visita relâmpago ao Continente para comprar salsa e alface para o jantar! grrrrrr falta sempre qualquer coisa!).

Um fim de semana que começou com um sábado cinzentão (de manhã o nevoeiro era tanto que não se via um palmo à frente dos olhos!) e terminou com um domingo verdadeiramente primaveral. Tudo teria sido perfeito se não me tivesse zangado a sério com a bicharoca fofinha. Hoje (pela primeira vez em 6 anos!) a mamã virou fera e ela percebeu que a minha paciência também tem limites. Nunca me tinha visto assim. Fez-me passar literalmente dos carretos. Primeiro caiu vestida para dentro da piscina porque é surda e teimosa e achou por bem continuar aos pulos depois de sairmos. "Rafaela anda para aqui se faz favor. Não andes aos pulos, é perigoso! O chão está molhado, podes escorregar e partir uma perna ou ainda cais lá para dentro e ficas ensopada!"... não fez caso nenhum e caiu mesmo. Felizmente já sabe nadar sozinha, caso contrário teria sido bem pior.

A seguir fomos ao supermercado e não ficou esborrachada debaixo do carro das compras porque não calhou. Disse-lhe quinhentas vezes para não trepar para o carrinho porque já é alta e pesada e o carrinho pode tombar-se. Não fez caso. Continuou a desafiar-me... continuou aos pulos (não lhe chegou uma hora e meia dentro de água!)... e eu sempre a avisar para estar sossegada porque se podia magoar... até ao momento em que o carrinho se voltou e não lhe caiu em cima por um triz. Fiquei cega! Zanguei-me a sério, segurei-lhe o braço e tive que lhe dar uma bela palmada naquele rabo. Desatou num pranto medonho, fez uma fita monstruosa em pleno supermercado e ainda teve a ousadia de continuar a desafiar-me. E eu a tentar explicar-lhe que é melhor sentir a minha mão do que o carrinho em cima dela.

Enfim, mãe sofre!... só senti vontade de me meter num buraco. Passados segundos já andava de volta das minhas pernas com olhinhos de bambi a pedir-me desculpa. Não cedi. Desta vez passou dos limites. Tivemos uma longa conversa e só antes de jantar é que voltei a sorrir. Fiquei triste, muito triste. Até o papá ficou surpreendido porque nunca me tinha visto tão zangada com ela. Tenho uma paciência de santo para as traquinices próprias da idade, sou uma mãe super brincalhona e divertida mas não lhe admito falta de educação. Fizemos as pazes, foi para a cama mais mansa que um cordeiro e prometeu-me que jamais voltará a faltar-me ao respeito e a fazer uma cena tão triste. Foi a primeira e a última... esperemos. Se voltar a fazer algo do género temos castigo dos bons. Prefiro que seja ela a chorar do que eu.


AngelLuzinha

2 comentários:

  1. Claro que não vai ser a últimaaaaaaa!... é mais forte do que eles... ;)
    Bjss e bom resto de semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é :-))))))))))))))))
      beijinho grande para vocês :*

      Eliminar