quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Estou tramada com estes dois...

Os meus dias continuam a ser divididos entre trabalho, brincadeira e cansaço (muito!). Gosto de fugir à rotina durante as férias mas aprecio o regresso aos horários e à ordem... sobretudo porque sou mãe e a nossa vida vira um caos quando as crianças andam demasiado tempo à rédea solta. A rotina e a escolha fazem-lhes bem e a nossa sanidade mental agradece.

Isto para dizer que, nestes últimos dias, tenho funcionado na base da negociação. De manhã trabalho (enquanto ela vê televisão ou faz uns livros de fichas ao meu lado), depois trato dos afazeres domésticos e ao final da tarde vamos à praia. Tem que haver tempo para tudo. Não posso andar na rambóia (como ela quer!) o dia todo. Se ela colaborar eu faço o meu trabalho e a seguir vamos brincar... se não colaborar temos o caldo entornado e uma mãe à beira de um ataque de nervos!

Chego à noite mais morta que viva e é a muito custo que a consigo meter na cama porque a energia daquele corpinho é inesgotável! Ela adormece e eu enfio-me no computador até às 3 da manhã para terminar edições, orçamentos, atualizar o blog, analisar propostas, etc, etc... morta! é assim que eu ando!... já tive, inclusive, que recusar alguns trabalhos porque não tenho mãos nem tempo para tanto. Quem me dera fazer parte do grupo de mães sortudas que tem os avós por perto para darem uma ajuda, a sério!!!... isto de ser mãe e profissional a tempo inteiro tem muuuuito que se lhe diga...

Por outro lado, tenho o o reverso da medalha, ou seja, quando ela for crescida tenho a certeza absoluta que aproveitei ao máximo estes anos que não voltam para trás. Se vissem a alegria dela ontem na Costa! Nunca mostrou grande interesse pelo bodyboard (para desgosto do papá que pratica esta modalidade há 20 anos!) mas ontem tomou-lhe o gosto depois de experimentar a prancha de uma menina. Uma prancha baratuxa, daquelas que se compram nas tendas à beira da praia... baratuxa mas super cool! Ela adorou e deu-lhe com o jeito! Com a do papá toda pro nunca atinou! LOL!

Escusado será dizer que me vi grega para a tirar da água. Já estava roxa e não largava a maldita prancha. Chegou ao carro lavada em lágrimas e protestos. O frio e a fome ajudaram! Só sei que parei na primeira tenda que me apareceu pela frente e comprei-lhe uma prancha com golfinhos como ela queria. As crianças vencem-nos pelo cansaço! Há dias em que uma pessoa já nem tem pachorra para levar a melhor!

Em suma, chegou a casa feliz da vida e desejosa de contar tudo ao papá. O nosso homem do mar ficou babadíssimo mas achou que eu podia ter comprado uma prancha melhorzinha porque com esta chinesice não vai longe (por ele a miúda já era federada!). E para aqui andou a dar-lhe explicações no tapete da sala... e ela já queria aprender a fazer rolos e aéreos... e ele já me dizia "ahhh e tal se calhar vou inscrever-te nas Boogie Chicks".

Enfim... cheira-me que vou ter dois malucos em casa em vez de um... estarei condenada a ficar "abandonada" e inquietada no areal?... para mim só águas calmas... morro de medo de mares revoltos!


AngelLuzinha

Sem comentários:

Enviar um comentário