sexta-feira, 7 de novembro de 2014

O melhor de 2014

O ano ainda não chegou ao fim mas aqui em casa nenhum de nós hesita em dizer que esta podengo anã foi a melhor "coisa" que nos aconteceu em 2014. Este mês faz cinco meses que a fomos buscar aqui mas é como se estivesse connosco há uma vida. Encaixou-se perfeitamente nas nossas rotinas e deu-nos a conhecer uma nova forma do verbo amar. Pode soar a disparate mas esta bolinha de pêlo é quase uma espécie de filha mais nova. É adorada por todos e retribui com um carinho inexplicável. Onde está a Paula que tinha nojo de meter cães em casa? Onde está a Paula que via germes e micróbios em todo o lado? A verdade é que continuo com a mania das limpezas (faz parte do meu ADN ah ah ah!) mas graças à Amélie passei a ser uma pessoa muito mais tranquila relativamente a estas coisas. Afinal de contas, uma casa não vira uma pocilga! Um cão não é sinónimo de mau cheiro nem pêlos por todo o lado. Com regras e higiene convivemos em perfeita harmonia e a casa continua imaculada. No inicio, andava sempre com ela a caminho da rua. Stressava só de pensar num possível xixi no chão (germes uhhhh que medo!) mas depois comecei a relaxar e encaixei as saídas da bichinha com a nossa rotina. De manhã vai levar a Rafaela à escola, à tarde vai buscá-la e em seguida rumamos as três até ao jardim mais próximo para aproveitar os últimos raios de sol. E por ali ficamos uma hora na brincadeira. Depois de jantar, dou um pulo com ela ao pátio e já está.  

Adora:
Correr que nem uma desalmada; rebolar na relva, na terra e nos tapetes (nestes está proibida!); espalhar as suas bolinhas pela casa e andar atrás delas como se estivesse a apanhar coelhos; brincar com os donos ao cú-cú (eu escondo-me e quando apareço é o delírio!); comer cenouras cruas; refilar com os cadelas maiores (é doida, não tem noção que é um rato!); aconchegar-se no ninho e na sua almofada; ficar hipnotizada a olhar para nós enquanto comemos (à espera de um petisco!); puxar pelas minhas calças para me arrastar para a brincadeira; mimos e muuuuito colo.

Detesta:
O aspirador (foge a sete pés); os dias de chuva; ouvir alguém nas escadas ou a tocar à campainha (nestas situações ladra que se farta! é a típica cadela de guarda sempre de orelhas em pé!); que alguém chegue ao pé das donas (fica desconfiada e desata a ladrar para nos proteger... tadinha! tão querida!).

Morre de medo:
Da querida Marta da loja dos animais onde vai cortar as unhas e fazer as tosquias; da Veterinária que é um doce mas ela acha que é o diabo em figura de gente e de todas as pessoas que a queiram tocar ou agarrar. 

Nestes cinco meses já aprendeu a gostar de tomar banho (de três em três semanas lá vai ela) e já não foge do secador. E quando me vê dar mimos à Rafaela ou ao papá? É a ciumeira total! Vem ter comigo de patas no ar a gemer e a pedir colo!

Em suma, tem quase três anos mas é uma eterna bebé. Pesa apenas 2.300 Kg (a Rafaela pesava bastante mais quando nasceu!), não dá trabalho nem despesa e tem feito a nossa Fada dos Animais tão feliz! Quem a abandonou e maltratou não sabe o que perdeu...

We love you sweet Amélie 







Um look giro, prático e confortável para estes dias que estão cada vez mais frios e cinzentões.
Gola amovível Vertbaudet (nova coleção); sweat-shirt Zara (nova coleção); calções Massimo Dutti (do ano passado)

AngelLuzinha

5 comentários:

  1. Este é sem dúvida um espaço de pura magia de mãe e filha. É sempre bom podermos partilhar o que de bom temos em nós. Muito sucesso para este cantinho delicioso, que sempre visito. beijinho

    Ana Santos
    AnnCrafts Artesanato - http://anncraftsartesanato.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ohhhh Ana que querida! Muito obrigada pelo carinho ♥

      Eliminar
  2. Obrigada por seres quem és e por esse coração enorme.
    Os animais têm a capacidade de trazer ao de cima o melhor de nós... Tenho uma cadela que adoptei já à 3 anos e mesmo dando comigo em louca foi o melhor que fiz...

    Um beijinho para as 3 <3

    ResponderEliminar
  3. Estive com ele no fim de semana passado em Monsanto, mas tive "vergonha" de me identificar.
    É lindo.

    ResponderEliminar