domingo, 30 de novembro de 2014

O nosso domingo foi péssimo. Aqui fica o alerta para não vos acontecer o mesmo.

Depois de um sábado maravilhoso, a fotografar tantas famílias queridas, pensei tirar o domingo para relaxar, fazer umas caminhadas desportivas com os meus amores e acompanhar a Rafaela nos estudos porque na próxima semana vai ter os primeiros testes. Pensei fazer tudo isto mas nem devia ter saído da cama. O nosso domingo não foi mau, foi péssimo.

Ando numa maré de azar incrível. Já começo a pensar no que raio me irá acontecer a seguir. No mês passado estava parada quando uma camioneta vem de encontro ao meu carro. E hoje? Hoje de manhã fomos até Monsanto (onde milhentas famílias vão correr, andar de bicicleta, skate e patins) e quando chego ao carro deparo-me com um vidro partido e o banco traseiro rebatido. Mas que raio se passou aqui?? Por momentos pensei que alguém tivesse partido o vidro com uma bolada... e o meu marido pensou que eu tinha carregado no botão e rebatido o banco por engano. Não, nada disso!

Que estranho. Pensámos em tudo mas não nos ocorreu que tínhamos sido roubados. O casaco da Rafaela continuava no banco da frente onde o tínhamos deixado. Os sacos com os bens alimentares para a Ajuda de Berço continuavam na bagageira juntamente com um rádio antigo que levei para as sessões de ontem. Foi então que o meu coração gelou. Calma lá porque eu deixei a minha mochila na bagageira! No dia-a-dia ando sempre de mochila (fico com as mãos livres para o que for preciso) mas quando vou fazer desporto levo comigo apenas uma garrafa de água, as chaves do carro e o telemóvel. O resto, como é óbvio, fica na bagageira. Fantástico não é! O local perfeito para os gatunos operarem! Há anos que vou para ali e só hoje me apercebi de tal situação. Só agora percebo porque é que os vidros no chão são uma constante naquela zona! Nos dias de semana são tantas as pessoas que saem do emprego e vão para ali dar uma corrida para espairecer a alma. E no fim de semana são tantas as famílias que aproveitam este espaço fantástico para passear os cães, andar de bicicleta, skate e patins. Deixam as malas no carro e seguem descontraídas por aqueles caminhos verdejantes (Keil do Amaral, Montes Claros, Alvito, etc.).

E assim se acabou o sossego. Levaram a minha mochila. Lá dentro tinha a minha carteira com todos os documentos (incluindo os documentos do carro), as chaves de casa, os meus óculos graduados, a minha agenda (com a minha vida!) e uma bolsinha com aquelas coisas que acompanham qualquer mulher (pensos higiénicos, pensos rápidos, batom, etc). E ainda me levaram um saco impermeável (para lá de velho!) onde tinha o equipamento do ginásio (que anda sempre no carro). Em suma, se queriam dinheiro apanharam uma desilusão porque aqui a mamã raramente anda com dinheiro na carteira. Se pensam vender as minhas tralhas também não vão ter muita sorte porque a peça de maior valor são os óculos graduados e os ténis Adidas com 4 anos. Se pensam que me deixaram à beira de um ataque de nervos podem crer que sim! Estragaram-me o domingo e os próximos dias (para não dizer semanas).

Passei a tarde na polícia (sim, as autoridades já estão devidamente alertadas), tive que ligar para tudo e mais alguma coisa para cortar os acessos aos meus cartões, tive que pagar um balúrdio para me substituírem a fechadura da porta de casa... e esta semana vou ter que perder o meu precioso tempo nas Lojas do Cidadão e afins para pedir segundas vias de todos os documentos... e comprar uns óculos graduados novos... fico doente só de pensar na fortuna que vou gastar... anda uma pessoa a dar o litro pela vida e depois é isto...

E já não tive tempo (nem cabeça!) para acompanhar a Rafaela nos estudos de hoje. Em suma, a minha vida virou um caos de um momento para o outro. A Rafaela assistiu a tudo e ficou super nervosa. Ainda por cima com os testes à porta. Não é justo, ninguém merece! Agora percebe porque é que a mamã está sempre a dizer que quanto mais conheço as pessoas mais gosto dos animais. Agora percebe porque é que eu nunca a deixo sozinha no carro. Agora percebe porque é que passo a vida a alertá-la para a maldade que certas pessoas têm no coração. É triste ter que lhe passar esta mensagem... é triste... mas é o mundo que temos.

Ainda fizemos uma ronda pelos baldes do lixo mais próximos mas não encontrámos nada. Malandros... a única coisa que vimos foram imensos vidros partidos ao longo de toda a área de estacionamento. Não fui a única. O carro que estava estacionado atrás do meu teve a mesma "sorte". A polícia disse-me que já têm várias ocorrências registadas. Aqui fica o alerta. Se forem fazer desporto deixem os documentos em casa ou levem tudo às costas.


2 comentários:

  1. Foi mesmo terrível Paula.Deve ser uma sensação de vazio. E o trabalho e despesa que tudo isso dá a tratar. Tens que ter calma. Mas que vais ter um despesa extra vais. anda uma pessoa a trabalhar e depois acontece isso, ainda por cima em Dezembro. Que tudo corra bem. Beijos.
    ivel Paula. Deve ser uma sensação

    ResponderEliminar
  2. Oh, Paula...que forma triste de fechar a semana...Sábado foi, de facto, muito especial! Obrigada por esse momento! Espero que tudo corra bem de futuro para vocês. Beijinhos grandes e Boas Festas!
    Sofia Nunes

    ResponderEliminar