quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Já posso suspirar de alívio! Obrigada Sr. Agente, obrigada PSP

Ontem à tarde estivemos no Parque do Alvito e na Guarda Florestal do Monsanto. Nestas últimas semanas têm recebido inúmeras queixas (inclusive do porteiro do Alvito que também foi assaltado!), têm encontrado imensos documentos e objetos pessoais espalhados pela mata e têm debaixo de olho um individuo e um grupo de jovens. Tudo indica que são eles que andam nesta zona (Alvito e Montes Claros) a partir os vidros dos carros em busca de dinheiro e coisas de valor. 

A seguir, fomos vasculhar mais uns baldes do lixo e caminhar por outros trilhos na esperança de encontrar (pelo menos!) os meus documentos espalhados pelo chão. Nada. Nadinha de nada. Fui buscar a Rafaela, dei-lhe banho, ajudei-a nos estudos para o teste de hoje e às oito da noite toca o telefone. WHAT????! Nem queria acreditar! Do outro lado da linha tinha um agente da PSP do Bairro da Boavista a dizer-me que tinha encontrado (enquanto fazia o seu treino!) os meus óculos, os meus documentos e a minha agenda espalhados ao longo da Estrada de Montes Claros. O agente costuma ir correr para aquela zona e ontem deparou-se com os pedaços da minha vida espalhados ao longo dos trilhos enlameados. Woww! Bom demais! Estão a imaginar a minha cara de felicidade, não estão? Só sei que fiquei tão eufórica que até perguntei ao Sr. Agente se lhe podia oferecer um ramo de flores! Ah ah ah! 

Vesti a Rafaela (tadinha, já estava tão ensonada no sofá) e lá fomos os três a caminho da esquadra do Bairro da Boavista. Ainda pensei ir sozinha mas o meu marido disse-me logo que eu devia estar maluca. E lá fomos. Quando cheguei entregaram-me um saco de plástico. Lá estava o meu estojo com os óculos graduados (intactos, nem lhes tocaram!) a minha agenda, as chaves de casa, o livro de cheques, a bolsinha com os pensos higiénicos e o batom para o cieiro e TODOS os meus documentos e os da Rafaela (que também tinham desaparecido porque andam sempre na minha carteira). Só faltava o cartão do Continente!

A mochila, a carteira e o saco do ginásio (com os meus ténis) não apareceram mas o mais importante foi recuperado por este agente que corria em Monsanto. I-na-cre-di-tá-vel! No meio de tanto azar só posso dar graças a Deus por tudo isto ter parado em boas mãos. Ser roubada é péssimo mas saber que a nossa vida anda nas mãos de alguém sem escrúpulos é um tormento. Uma pessoa perde o sossego mental, é um horror! Mas estes malandros "são um amor"e só querem dinheiro e objetos de valor (no meu caso tiveram azar porque nem uma moeda tinha!). O resto espalham por todo o lado... e uma pessoa fica a pensar se um malandro pior que eles apanha tudo...

Mas há males que vêm para bem. Foi preciso acontecer isto para eu me dar conta da quantidade de papelada que transportava na carteira e na agenda. O meu  marido bem me dizia que eu andava com a casa às costas... agora acabou-se! Já comprei uma carteira nova (do mais barato possível) e a partir de hoje só vou andar com aquilo que é estritamente necessário. 

- Acabaram-se as fotos da família e os milhentos papelinhos com anotações dentro da carteira. 
- A agenda (cheia de cartões de visita, contactos e moradas) passa a ficar em  casa.
- Os óculos graduados passam a ficar em casa. Afinal só preciso deles para conduzir à noite e ver televisão. Durante o dia ando com os de sol que também são graduados e passam dos olhos para a cabeça. Nem precisam de ir para a mala!
- Vou passar a andar com as fotocopias dos documentos da Rafaela e não com os originais. 
- Quando for fazer desporto levo comigo a carta de condução e o cartão do cidadão. O resto fica em casa.
- Quando o meu carro chegar da oficina vou-lhe retirar a chapeleira para os senhores ladrões perceberem que a partir de hoje a mala do carro vai passar a estar vazia. Nem a bolsa do ginásio vai lá andar (e nos entretantos ainda tenho que comprar uns ténis novos!).

Por último, aqui fica o alerta mais uma vez. Se forem para estas zonas (Keil do Amaral, Alvito e Montes Claros) não deixem nada no carro. Se estacionarem num local e virem muitos vidros no chão, desconfiem! Vidros no chão (ao longo de toda a área de estacionamento) é mau sinal. Por último, se forem assaltados, comuniquem de imediato às autoridades. Eu apresentei queixa no próprio dia e quando o agente encontrou as minhas coisas o processo foi super rápido. Fica tudo registado. Todas as esquadras passam a ter acesso ao nosso processo. A polícia chega até nós rapidamente. 

Agora só  me resta suspirar de alívio. Já tinha gasto 200€ a mudar a fechadura, já tinha perdido o meu tempo nos bancos e seguradoras (que foram impecáveis e super céleres) mas na próxima terça feira já ninguém me apanha na Loja do Cidadão. Já tinha tudo agendado mas não vou ter que gastar nem mais um cêntimo em novos documentos. Thanks Sr. Agente! Estava capaz de o beijar ;-)


Ontem à noite a sentir-me tãããão feliz à porta da esquadra ;-)
Mais uma história para contar aos meus netos...

3 comentários:

  1. Yeaaaaaah! Ainda bem que tudo acabou da melhor maneira! Ainda há gente séria e boa à face da Terra! Não sabe como entendo o seu estado de espirito, pois também fui vitima de uma situação idêntica bem à porta de casa... No meu caso limitaram-se a meter um ferro na porta do lado do condutor, abrindo um pouco a parte de cima por forma a entrar um braço até ao travão da porta. Depois foi só entrar no carro e espalhar o conteúdo do porta-luvas que nada mais tinha a não ser uma caixa de lenços de papel e o manual do próprio carro,,, Na mala nem sequer tocaram (também só trago uma garrafa com água, pois o carro já é velhinho e precisa de ser vigiado no depósito de água) e a pála protectora do sol, que utilizo muito no Verão e durante o Inverno recolhe à mala. Não tenho por hábito deixar nada à vista e até o próprio auto-rádio foi poupado. Não entendo o que andavam à procura... Já levei o carro à oficina e limitaram-se a endireitar o que estava torto na porta do condutor, verificaram se estava tudo a funcionar e nada mais. Acho que tive um pouco mais de sorte, pois não tive prejuizos - nem no carro, nem no bolso! Mas fica sempre uma sensação esquisita cá por dentro... Aconselharam-me, na oficina, a notificar a policia do sucedido e a falar com vizinhos que também deixam os carros à porta de casa e assim fiz, pois a zona onde vivo a partir de uma determinada hora é um autêntico deserto (propicio a estas situações, claro!), mas também um paraíso para descansar, apesar de viver a cerca de 20 minutos do centro do Porto. A única coisa que posso dizer, para terminar, é que vá tentando descontrair e encontrar, dentro de si, alguma paz interior para todas estas sensações menos agradáveis que ficam cá por dentro, depois destas situações, desapareçam gradualmente.
    Bom dia, bom fim de semana e, já agora, Feliz Natal para todos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enfim, há gente para tudo... é este o mundo que temos... felizmente ainda se encontram pessoas sérias à face da terra! Mas é assustador... imagine aqueles casos em que as pessoas são assaltadas e violentadas... muitas vezes nem levam nada de jeito mas deixam um rasto de sangue pelo caminho. Enfim... é melhor nem pensar nisso... é a selva humana em que todos vivemos...

      Adorei ler as suas palavras. Muito obrigada pelo carinho. Votos de um Bom Natal também para si e para os seus ♥

      Eliminar
  2. Mas que sufoco... ainda bem que recuperaste os documentos e que não vos aconteceu nada de mal fisicamente.
    Beijinhos Paula

    ResponderEliminar