terça-feira, 17 de março de 2015

Sobre os (malditos) TPC

Os TPC são uma forma de acompanharmos os nossos filhos e percebermos que matéria estão a dar e que dificuldades estão a sentir. Não sou contra os TPC mas sou contra o exagero, ou seja, não concordo que as crianças tragam TPC todos os dias e em doses escandalosas. Os miúdos passam o dia inteiro na escola e o pouco tempo que têm livre é preenchido desta forma. É o mesmo que um adulto trazer trabalho para casa depois de ter estado 8 horas enfiado no emprego. A exaustão nunca foi amiga da eficiência. No meu tempo só tínhamos aulas de manhã. Também trazíamos TPC mas eram feitos depois de almoço e ficávamos com a tarde livre para sermos crianças. Para além disso, a maior parte das mulheres eram mães a tempo inteiro e conseguiam acompanhar os filhotes a 200%.

Hoje as crianças entram na escola às 8h30 da manhã e saem às 17h00 (as que têm a sorte de ter alguém que as vá buscar a essa hora porque as restantes ficam no ATL até às 19h30), ou seja, a maior parte passa mais tempo na escola do que os pais no emprego. E depois? Trabalhos, banhos, jantar... Onde está o tempo para brincar e ser criança? Onde está o tempo para estar em família? Onde está o tempo de qualidade? O tempo foge. O tempo desvanece-se numa amalgama de afazeres e obrigações. As crianças não precisam de roupas caras, nem de brinquedos do outro mundo nem de quinhentas mil atividades extra curriculares que as sufocam. As crianças só precisam de duas coisas para serem felizes: de nós e do nosso tempo. 

E é isso que eu tento dar todos os dias à Rafaela. Todos os dias a vou buscar às 17h00 mas os malditos TPC têm-se apoderado diariamente do nosso tempo de qualidade. E isso entristece-me. Todos os dias me diz que tem saudades de brincar e estar comigo sem pensar em mais nada. Compreendo-a. Sinto o mesmo. Tenho saudades dos tempos em que ela andava no Jardim de Infância... a sério! Saudades daqueles finais de tarde relaxantes em que tudo era feito nas calmas. Agora é tudo a contra relógio. Agora quando damos por nós já são horas de jantar. Não sou contra os TPC mas tenho para mim que todos seriamos mais felizes se eles só entrassem cá em casa dia sim, dia não... ou só nos fins de semana.

No meio disto tudo já só penso nas férias da Páscoa. Duas semanas para relaxar e mimar a pequena cria. Duas semanas para abrandar esta vida que teima em acelerar. Tenho trabalhado dia e noite de segunda a domingo....o cansaço é mais que muito... férias precisam-se urgentemente!


AngelLuzinha

2 comentários:

  1. Exactamente! Por vezes eram fonte de conflito e chegavam a ser tarefas rotineiras e nada acrescentavam. Como eu costumava dizer: não é a escola que deve definir como é que eu passo os tempos livres com os meus filhos. Atenção que também concordo com TPC's mas não como forma da professora aliviar a consciência. Até porque para realmente produzirem algum efeito não devem ser encarados como um "frete" a despachar. E também não faz sentido serem iguais para todos, sem ter em conta as dificuldades reais de cada aluno. Falo no passado porque os meus já passaram a fase do 1º ciclo e a situação torna-se completamente diferente depois.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Subscrevo Coisas de Feltro. Na maior parte das vezes os TPC são isso mesmo. Tarefas rotineiras que não acrescentam nada de novo... só para dizer que se trouxe mais alguma coisa para fazer em casa... quando na verdade já fizeram mais do mesmo durante as oito horas e meia que estiveram na escola.

      Eliminar