quarta-feira, 6 de maio de 2015

Como é que é possível?

Era meia noite e meia. Mal fechei a porta dei-me conta que tinha metido as chaves do carro no bolso em vez das chaves de casa. Engoli em seco. Estou lixada! E agora? Quem é que vai acordar pai e filha?... desci as escadas, a raposa mais querida fez as suas necessidades e comecei a tocar à campainha. Eu e a cadela, as duas à porta do prédio. Toquei, toquei, toquei... nada. Ela olhava para mim enquanto eu praguejava sobre o sono profundo daqueles dois. Querem ver que ainda vou passar a noite dentro do carro?

E continuei a tocar. Nada. Quase uma da manhã. Suspirei e lá toquei para a vizinha do rés do chão (que felizmente é uma querida!) na esperança que me abrisse a porta. A pobre acordou em pânico e apareceu de coração na boca. "Ohhhhh Paula, o que é que aconteceu???".... "Nem me digas nada Raquel! Mil desculpas! Isto não são horas de bater à porta de ninguém mas fui passear a Amélie e em vez de trazer as chaves de casa trouxe as do carro! E agora não consigo entrar em casa porque aqueles dois quando adormecem não ouvem nada!". Ela abriu-me a porta (ainda em estado de choque!) e passámos ao segundo ataque. Eu, ela e a cadela. As três à porta da minha casa. Quando eu lhe dizia que tenho duas belas adormecidas ela não acreditava mas depois desta cena só se ria! Pedi-lhe o telemóvel emprestado para ligar para o do meu marido, na esperança que acordasse com o toque.... mas nada! Bati à porta, toquei à campainha, liguei quinhentas vezes para o telemóvel... acordei o prédio inteiro mas aqueles dois continuavam ferrados. Minha Nossa Senhora! Como é que é possível???... a Raquel já me dizia para chamar os bombeiros ou passar a noite na casa dela... e eu já começava a desesperar enquanto tocava mais uma vez. Nada.

Ao fim de meia hora lá vem o meu homem abrir a porta com cara de zombie. Finalmente! Só agora é que acordaste? Estou aqui à meia hora e vocês nada! Como é que é possível? Agradeci à Raquel e entrei em casa com a certeza que nunca mais vou trocar as malditas chaves. Ele meteu-se na cama e adormeceu no mesmo instante. E a Rafaela?? Essa nem acordou!!!! Agora imaginem o que é que eu passo de manhã para a arrancar da cama? Quem me dera dormir tão bem como estes dois! Surreal! A casa pode cair-lhes em cima e eles nada. Felizmente estou cá eu e a Amélie sempre de orelhas no ar... sim, porque a nós não nos escapa nada! Somos as "perdigueiras" de serviço ;-)

Agora só me dá vontade de rir mas no calor do momento até comecei a temer o pior... estariam os dois bem?... com tanto barulho e nada... minha Nossa Senhora...



AngelLuzinha

2 comentários:

  1. Uma pequena aventura! Imagino a sua aflição!

    www.trapinhartes.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois... agora farto-me de rir mas no momento estava a ficar com o peito apertado. Enfim, serviu-me de lição! Passei a olhar duas vezes para as chaves antes de sair de casa :))))))

      Eliminar