segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Sobre as legislativas. A abstenção vergonhosa...

"Mamã, porque é que o voto é secreto? É para as outras pessoas não copiarem?"

Esta foi uma das quinhentas mil perguntas que a Rafaela fez ontem quando fomos votar. Sim, fomos votar, ao contrário de 43,07% dos portugueses que não o fizeram. A maior abstenção de sempre em eleições legislativas. Há quem não tenha ido até às urnas por motivos de saúde, outros porque estão fora do país e outros porque se estão completamente a borrifar. Sim, porque a maioria das pessoas gosta de se queixar mas poucas são as que arregaçam as mangas para fazer seja o que for. Queixar é fácil mas agir dá trabalho. É melhor ir até ao shopping, ao mercadito mais próximo ou ao café do que perder tempo a ir votar. Sim, porque afinal de contas são todos iguais, o meu voto não fará a diferença e eles só querem é tachos. 

Cada um sabe da sua vida, votar não é obrigatório mas é um direito que se conquistou e pelo qual muitas pessoas perderam a vida. Acho impressionante a forma como se cospe em cima da liberdade conquistada. Sim, a liberdade foi conquistada, não é um dado adquirido. Liberdade de escolha e de pensamento. Liberdade para agir, opinar, mudar, protestar e fazer pela vida. Será que estas pessoas que se estão a borrifar gostariam de voltar ao antigamente? Adeus democracia e liberdade de expressão. Já imaginaram? O que fariam estas pessoas que se estão a borrifar mas que adoram debitar criticas nas redes sociais, na mesa do café ou na fila do supermercado? 

A liberdade é uma benção. Votar é um direito mas também é um dever cívico. Cabe a nós explicar aos nossos filhos a importância deste ato para que nunca façam parte do grupo dos que se estão a borrifar. Cabe a nós dar o exemplo, sempre.

Esta abstenção é o espelho dos portugueses. Criticam, arrastam-se mas na hora de agir preferem o conforto do sofá. Se acham que são todos iguais, se acham que não temos alternativas, votem em branco mas não deixem de ir votar. O voto em branco tem peso e valor mas a abstenção não. São coisas completamente diferentes, apesar de muitas pessoas pensarem que é o mesmo. Sim, porque a ignorância é o prato forte daqueles que se estão sempre a borrifar.


Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook

6 comentários:

  1. Concordo plenamente, gostei do post, beijinhos!!!

    http://fashionprincess23.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Parabéns pelo post! É de louvar! Enquanto a maior parte das mães bloggers só pensa em kits e futilidades você dá-se ao trabalho de escrever um post como este. A vida não é só roupa. Parabéns por ser a inspiração que é. Espero que continue sempre assim e que não se perca na vaidade como a maior parte delas.

    ResponderEliminar
  3. A Rafaela e as suas questões! Sempre tão pertinente, santa inocência :)

    ResponderEliminar
  4. Penso exactamente da mesma forma. Parabéns pelo post! A Rafaela é uma sortuda por ter uma mãe como você :))

    ResponderEliminar
  5. Eu levei todo o dia com perguntas da minha filha para saber em quem eu tinha votado e também lhe expliquei que o voto é secreto e ela dizia: "mas o pai e a tia disseram em quem votaram e tu não me dizes porquê?" Desde os 18 anos que não falhei uma eleição precisamente pelos factos que a Paula tão bem explicitou, com uma bebé pequena e um tempo horroroso seria bem mais fácil ficar em casa no quentinho, mas orientei-me com o meu marido por forma a irmos os 2 cumprir o nosso dever cívico sem tirar a bebé de casa, eu fui votar de manhã e ele foi à tarde. Mas também fiquei triste com os dados da abstenção.

    ResponderEliminar
  6. Eu não diria melhor! Concordo plenamente! Eu e o meu marido fomos votar e connosco foram as nossas duas filhas... a mais velha votou pela primeira vez, orgulhosamente mas também muito preocupada com o peso da responsabilidade, mas não imaginam o sorriso com que saiu do cubículo e foi entregar o boletim à urna!!!

    ResponderEliminar