terça-feira, 10 de novembro de 2015

Coisas que se ouvem aqui em casa #12

Fazer anos no dia 26 de dezembro é qualquer coisa de extraordinário para uma criança da tua idade! Só daqui a uns anos, quando fores mãe, é que vais desejar ter nascido noutra data.... sim, porque nessa altura, a euforia da quadra e a alegria dos teus filhos vão-te relegar para segundo plano. Até lá, vais continuar a ser a estrela da casa e a vibrar como ninguém com esta dupla celebração.

Sei que já andas ocupadíssima a pensar na festa e que até já escreveste a carta para o Pai Natal. Aprendeste comigo a não deixar para amanhã o que podes fazer hoje e só não a colocaste no correio porque aqui a mamã sabe que ainda vais fazer algumas adendas pelo meio... é melhor enviares só em dezembro para não baralhares o pobre homem!

Todos os anos o tentas apanhar mas ele esgueira-se diante dos nossos olhos. Ficas eufórica quando ouves os guizos do trenó ecoaram por aqui e de boca aberta quando abres a porta do quintal e percebes que ele já se foi! O ano passado até encontrámos um guizo dourado junto à oliveira mas ele nem voltou atrás para o vir buscar. Querias vê-lo, sentar-te a seu lado e colocar-lhe as quinhentas questões que povoam a tua cabeça. Questões que já não encontram resposta nas nossas conversas porque é impossível saciar a tua curiosidade. Por mais que tentemos, nunca te conseguiremos explicar pormenorizadamente como é que ele põe as renas a voar ou encolhe a barriga para escorregar pela chaminé ou distribui os presentes todos numa noite ou contrata os duendes ou vai às compras... ou quem é que o vai substituir quando morrer... perguntas cada vez mais complicadas porque de parva não tens nada e ficas a matutar naquilo que já não faz sentido na tua cabeça. Foi assim que apanhaste a Fada dos Dentes... cheira-me que é assim que vais apanhar o Pai Natal... já encontraste demasiadas pontas soltas e peças que não encaixam... 

Talvez este seja o último Natal em que acreditas na sua magia. Tenho pena, muita pena e, apesar de nunca te mentir, tudo farei para prolongar ao máximo este feitiço. O pior é que já traçaste um plano infalível: "Sabes mamã, este ano vamos fazer uma espera ao Pai Natal! Eu fico debaixo da chaminé, tu ficas ao pé da árvore de Natal, a Amélie fica à porta, o papá no quintal e os avós ao pé das janelas. Este ano não me escapa! Vai ficar encurralo e vai ter mesmo que conversar comigo!"

Eu franzi o sobrolho e expliquei-te que, desta forma, és capaz de o afugentar porque se todas as crianças lhe quisessem fazer o mesmo, o pobre não conseguia entregar os presentes e depois não dava conta das reclamações. Mas tu não te mostraste preocupada e arranjaste logo uma solução:

"Já sei! Já sei! Já sei! Já arranjei uma maneira de lhe dar a volta sem o encurralar! Como ainda não metemos a carta no correio, ainda vou a tempo de acrescentar: Querido Pai Natal, eu quero ver-te na Noite de Natal. Não fujas de mim por favor. Eu não faço mal a ninguém e sei que atendes os pedidos das crianças que se portam bem como eu!"

Ohhhhh my God!...eu sabia que ela ainda ia fazer adendas... mas esta é muuuito complicada!


Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook

2 comentários:

  1. Pois sem mentir é um desejo difícil de se realizar.
    Felizmente existe tempo para tudo inclusive para a descoberta que o Pai Natal não existe mas que a magia está nos corações das crianças.

    ResponderEliminar