quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Momentos de ouro e mais um "grande" desgosto

Já tinha muitas saudades de escrever um post como este. Um post onde partilho aquilo que me faz mais feliz. Família, fotografia, liberdade, ar puro e descontração. Passeios pelo campo onde vou registando as aventuras da minha Fada e as cores da natureza que me enchem de uma paz incrível. Fechar os olhos e sentir a brisa no rosto. Passar as mãos pelas gotas de orvalho. Observar os raios de sol que entram timidamente pela copas das árvore. Momentos de ouro. Momentos cada vez mais escassos na minha vida porque ando sempre a correr e o maldito horário de inverno nem me deixa margem para aqueles passeios ao final da tarde onde descomprimo depois do trabalho.

Mas este fim de semana consegui saborear um desses raros momentos. Estivemos no nosso paraíso e, apesar de ter ido em trabalho (para o próximo lá estarei novamente para terminar o grande projeto que tenho em mãos) ainda consegui arranjar tempo para percorrer o tal caminho que vai do Hotel Ô Golf Mar até às termas e por aí a diante (só paramos quando chegamos às piscinas). Quilómetros de verde. Quilómetros de uma paz incrível. O silêncio só é interrompido pela tagarelice da nossa Fada que fica eufórica cada vez que encontra mais um bicharoco. Desta vez apaixonou-se por uma lesma! Deu-lhe o nome de Maria Nojenta e ali andou com ela de um lado para o outro. Metros mais à frente encontrou outra e mais outra... no fim eram 6 em cima de um pau e pelas mãos dela! Uma nojeira!

E no regresso? Estão a ver a cena, não estão? Queria trazer as lesmas... e vá de tentar dar-me a volta para ver se eu cedia. "Com este tempo ainda morrem de frio ou afogadas nas poças de água! Elas são feiosas mas também têm direito à vida! Vá lá mamã, comigo é que elas estão bem! Eu cuido delas como tratei dos caracóis! Vão ficar bem alimentadas e felizes!".

E blá blá blá.... mas não cedi. Quando chegou ao hotel até trazia os olhos inchados de tanto chorar... mas lá se despediu das lesmas num discurso de cortar o coração (só faltou dar-lhe beijinhos!). Esta miúda não existe! Ser mãe de uma Fada é isto 





















No fim a carinha triste antes de se lavar em lágrimas... 

Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook

9 comentários:

  1. Coisinha boa. Mil beijinhos para as duas!

    ResponderEliminar
  2. Ohhh tão querida
    Mas a mãe é que sabe e as lesmas ficam melhor em liberdade ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahhh pois ficam apesar dela achar que vão morrer afogadas na chuva :-))))
      Uma vez andou com uma aqui em casa dentro de uma caixa com ervas (vinha na alface que comprei no supermercado) e foi um drama quando a bichinha morreu. Mas desta vez não fui na conversa! Estas eram 6 senhoras lesmas, enormes!!! lhaccccc!

      Eliminar
  3. Oh, pobre Fada! Mas convém ela perceber que esses bichinhos vivem bem é na floresta, no meio das folhas e da humidade e que em casa morreriam!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, mas quem é que lhe mete isso na cabeça? Ela acha que estão mais protegidos aqui em casa no colo dela! E chora baba e ranho... um filme... eu até tremo cada vez que ela encontra mais um bicharoco...

      Eliminar
    2. As minhas é com cães e gatos... e esses eu não consigo dizer que estão melhor na rua! ;)

      Eliminar
    3. Pois, os cães e os gatos são outra conversa! :-)))
      Nós já temos a fofinha da Amélie mas por ela tínhamos um canil e um gatil :-)))

      Eliminar
    4. Ora então, de momento... 6 gatos (7 se contarmos com a gatinha do jardim), 2 cadelas, alguns peixinhos e 1 tritão!

      Eliminar