terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Um grande desgosto à chegada

Lembram-se da nossa Estrelinha? A hamster anã russa que comprámos aqui em janeiro de 2014? Pois é, a bichinha foi-se. Quando chegámos do Alentejo, depois do Natal, estava morta. Cheguei ao pé da gaiola e percebi logo que algo se passava porque ela não saiu do ninho. Vinha sempre a correr de narizinho no ar mas desta vez nada. Gelei. E agora? A Rafaela vai ficar de rastos....

Fui ao quarto e dei-lhe a notícia. Olhou para mim, saltou da cama (era de noite, tinha acabado de se deitar) e foi à sala ver a bichinha. Primeiro ficou a olhar para ela como se não acreditasse e depois sussurrou com uma maturidade incrível "Coitadinha, está morta mas é como se não estivesse porque eu nunca me vou esquecer dela. Os hamsters vivem pouco tempo mas ela teve uma vida muito feliz aqui na nossa casa. Nunca mais me vou esquecer das nossas brincadeiras e das dentadinhas que ela me dava". E a seguir deitou-se lavada em lágrimas.

No dia seguinte, assim que acordou, sentou-se no chão ao pé da gaiola e ali ficou a falar e a cantar para bichinha em jeito de despedida. Cortou-me o coração. 

Não a quis enterrar. Quis que ela ficasse no meio da natureza num sitio verde e luminoso. E assim foi. Ficou a dormir para sempre junto a uma grande árvore no meio do campo rodeada de flores amarelas. Ficam as fotos e os momentos para recordar. 




Foi muito feliz e teve a melhor dona do mundo, disso não tenho dúvida! Mas uma pessoa afeiçoa-se aos bicharocos e depois é uma chatice... não é fácil...

Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook


2 comentários:

  1. A Rafaela é de facto uma criança excepcional, é linda por dentro e por fora! Parabéns aos pais pela educação e valores que lhe transmitem.

    ResponderEliminar