segunda-feira, 13 de março de 2017

Dilemas


Adora guardar todo o tipo de material na sua caixa dos projetos. Fitas, pompons, pedaços de tecido, lãs, missangas... um sem fim de tralha porque tudo pode vir a ter utilidade. E ali fica enfiada no quarto a ouvir música e a cantarolar enquanto corta, pinta e cola. Passa horas a criar e depois passa outras tantas a contemplar e a batizar o que fez. Sim, porque para ela os brinquedos têm vida e todos têm direito a um nome, a uma casa e a muitos mimos (onde é que eu já este filme??!! eu era igual!!). Isto para vos dizer que na quinta feira chegou super triste da escola. Assim que a vi percebi logo que algo a atormentava.

"Então meu amor, o que é que se passa? Estás tristes?!"

"Não sei o que fazer mamã! Hoje recebemos a visita de uma senhora da Biblioteca Municipal que nos pediu que criássemos os nossos próprios monstrinhos e eu fiz este... está lindo, não está?"

"Está lindo mas não estou a perceber qual é o drama! O que é que se passa? A senhora não gostou?"

"Ela adorou mas no fim disse-nos que os monstrinhos iriam ficar expostos na Biblioteca Municipal e que só os devolveria quando fossemos para o quarto ano. Estás a imaginar não estás? Ele vai ter que sair da escola e o mais provável é que eu nunca mais o veja! Se ela nos tivesse dito isto no princípio eu nem tinha feito um tão bonito... mas eu também não sei trabalhar sem dar o meu melhor. E agora? Nem sei o que fazer! Não quero que ele vá para a exposição mas também não quero que a Professora se zangue comigo. Hoje o TPC é fazer um texto com a descrição física e psicológica dele e na segunda tenho que entregar tudo."

E ali ficou ela a olhar para mim com o ar mais miserável do mundo. E ali fiquei eu a escolher as palavras porque, conhecendo-a como conheço, sei bem a tristeza que lhe ia na alma.

"Ok amor, tens toda a razão quando dizes que a senhora devia ter dito primeiro que iam para a exposição mas, neste caso, só tens duas alternativas: Ou entregas o monstrinho e ele segue o seu caminho ou expões o assunto com sinceridade à Professora e tentas arranjar outra solução."

"E se ela se zangar comigo? Se calhar é melhor dizer que me esqueci dele em casa e pronto! O que é que achas?"

"Acho mal porque ao dizeres isso só estarias a demonstrar pouco interesse, quando na verdade não tens pensado noutra coisa! A sinceridade é sempre a melhor opção. Nunca tenhas medo de arcar com as consequências das tuas decisões. Para além disso, há sempre uma solução para tudo e tenho a certeza que vais encontrar uma. Nem que faças outro monstrinho só para a exposição!"

"Mas se fizer outro também me vou apaixonar por ele! Tu já sabes como é que eu sou! Se ficasse exposto na escola não havia problema porque ia vê-lo todos os dias e, no final do ano, ia para a minha pasta...  mas na Biblioteca Municipal tudo lhe pode acontecer!!!"

"Ok Rafaela. Faz como achares melhor mas peço-te que não me atormentes o juízo todo o fim de semana com esta conversa. É uma decisão que só tu podes tomar. Pensa e faz o que achares melhor."

Hoje de manhã, ao acordar, seguiu-se o veredito.

"Então amor, já decidiste?" 

"O Escabeludo vai ficar aqui em casa. Ele não precisa de ir para uma exposição para ser feliz. A felicidade dele está aqui ao pé de mim."

Deixou-o aconchegado no quarto e lá foi ela radiante e muito segura de si porque as melhores decisões são aquelas que fazemos com o coração. Agora quem está em pulgas sou eu! Desejosa que chegue da escola para saber como é que a vida lhe correu!... estes são apenas os primeiros dilemas meu amor 

Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook


2 comentários:

  1. Até eu estou ansiosa e a torcer para que tenha morrido bem. <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eh eh eh! Depois conto Patrícia ;)
      Beijinho grande para vocês :*

      Eliminar