Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Mulheres Portuguesas: A Sweet&Fun da Olga Pereira

31.05.17 | Paula Veiga Claro

Esta é uma das rubricas mais antigas do blog. Por aqui já passaram uma série de mulheres (podem rever todas aqui) que deram largas ao seu talento e fizeram acontecer. Sim, porque o sonho comanda a vida e enquanto cá andamos temos o direito (e a obrigação!) de ser felizes, é ou não é?

Hoje o destaque vai para o projeto Sweet&Fun da Olga Pereira que sempre gostou de cabanas e festas de pijama. Em pequena passava as férias no campo na terra dos avós e aproveitava as tardes para construir cabanas com os primos. Os anos passaram, a paixão adormeceu mas despertou quando a filha lhe pediu para fazer uma festa de pijama com as amigas. Meteu mãos à obra, deu o seu melhor e foi um sucesso! As miúdas deliraram com as tendas e foi nesse momento que a Olga decidiu lançar-se nesta aventura à séria. Fez formação em Cake Design, Massas e Recheios e Decoração de Mesas de Festas e assim nasceu a Sweet&Fun que cria festas completas (da decoração ao catering) na região do grande Porto (festas de aniversário, festas de pijama, eventos personalizados, piqueniques, festas temáticas e baby showers).

A Sweet&Fun disponibiliza ainda um serviço de aluguer de tendas. É isso mesmo, leram bem! Se quiserem aluguer estas tendas giras para uma festa em vossa casa ou noutro local, basta entraram em contacto com a Olga Pereira através do telefone 93 328 4055 ou via facebook. Cada tenda inclui colchões, lençóis, mantas, luzes leds, bandeirolas, lanterna e sucesso garantido entre a criançada!







Em suma, o cliente sonha e a Sweet&Fun concretiza! 
Aqui fica a dica para todas as mães/famílias do Porto e arredores ;)

FOTOS cedidas pela Sweet&Fun

Absurdos da vida real

29.05.17 | Paula Veiga Claro

Semana dura para ela e para mim que depois de um dia de trabalho ainda tenho que a ajudar a orientar-se nesta imensidão de matéria. Porquê? Porque o ensino está como a vida, ou seja, demasiado acelerado e as crianças desta idade ainda precisam de alguém que as guie. A extensão e a complexidade dos programas é um absurdo. Fico parva, a sério! No terceiro ano está a dar matéria que, no meu tempo, só se dava no sexto ou sétimo. Só para terem uma ideia, aqui fica a "ementa" para o teste de Estudo do Meio: Solos e rochas, relevo do solo, os meios aquáticos, poluição ambiental, características dos materiais (luz), os astros, pontos cardeais e orientação, meios de transporte, meios de comunicação e atividades económicas. Impressionante!! O Ministério da Educação deve querer formar uma geração de génios mas receio que este andamento não seja o ritmo mais adequado. E já nem falo do programa de matemática que até me causa suores frios!

Em suma, só tenho a dizer que admiro profundamente os professores que dão o litro todos os dias para lecionar e motivar as crianças no meio desta loucura de métodos, carga horária, metas e programas. É de bradar aos ceús!

Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook

Cenas queridas que se veem cá em casa #11

26.05.17 | Paula Veiga Claro

Todos os dias lê um bocado antes de se deitar. Se não o fizer fica com a sensação que lhe falta alguma coisa. Mas nem sempre foi assim! Foi um hábito que lhe incuti durante as férias do verão, quando transitou do primeiro para o segundo ano. Porquê? Porque no fim do primeiro ano já sabia ler mas era importante continuar a praticar, sob pena de chegar a setembro completamente enferrujada (sim, porque em três meses de férias os miúdos esvaziam a cabeça!).

Olhou para mim, fez cara feia e resmungou "Mas eu estou de férias! Agora quero é brincar porque ler dá muito trabalho!".

Expliquei-lhe que dava trabalho porque estava a aprender e tinha que fazer um esforço enorme para juntar as palavras e interpretar mas, com a prática, a leitura começa a escorregar fluentemente e passa a ser um prazer que nos permite aprender, viajar, relaxar, abrir horizontes e trabalhar o vocabulário. E ela??? Continuava a resmungar e a arranjar todo o tipo de desculpas para adiar a dita hora.

Mas não desisti. Cativei-a com livros sobre o mundo dos animais (tinha que ser!) e mais tarde apresentei-lhe a coleção do Petzi que era do papá. Adorou, lembram-se? Até partilhei esse momento convosco aqui.

E foi assim que a obrigação se transformou em hábito e prazer. Entrou no segundo ano a ler perfeitamente e hoje, a caminho do quarto, é ela que toma a iniciativa de ler todas as noites.

Ontem, quando chegou a casa, a primeira coisa que me disse foi: "Temos que comprar mais livros mamã! Esta noite já não tenho nada para ler e depois deito-me com a sensação que falta alguma coisa!"

Espetáculo! Fiquei babadíssima mas, como o espaço para arrumar tanto livro já escasseia, lembrei-me que o melhor era inscrevê-la na biblioteca municipal. E assim foi! Já temos a Rafaela oficialmente inscrita naquele mundo fantástico onde encontra centenas de livros para requisitar e devorar todas as noites. 

Depois de a inscrever não resisti em sacar do telemóvel para captar este momento que me fez lembrar os meus tempos de infância. Sim, porque eu também adorava ir à biblioteca e ficar mergulhada naquele silêncio enquanto escolhia os livros para trazer para casa. 


Moral da história: A mãe até pode ser chata mas, graças à minha persistência, hoje temos uma miúda que adora ler e escrever (e fá-lo muitíssimo bem!). 

BOM FIM DE SEMANA

Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook

Adeus queda de cabelo!

25.05.17 | Paula Veiga Claro

Já lá vai o tempo em que eu tinha o cabelo pelo meio das costas mas tudo mudou após as gravidezes. Agora quero-o deixar crescer mas parece-me uma missão impossível porque vai perdendo densidade e há alturas do ano em que cai a valer. Há três meses cheguei mesmo a fazer análises e um check up geral para ver se estava tudo bem com o meu metabolismo porque a queda não parava. 

A verdade é que o stress e as alterações hormonais rebentam com tudo e o cabelo não é exceção (sobretudo quando já se entrou nos quarenta). Por isso mesmo, nem pensei duas vezes quando a Viviscal me desafiou a testar a sua gama. Já tinha ouvido falar maravilhas destes produtos mas sempre pensei que fosse exagero porque já experimentei suplementos capilares de outras marcas e nunca tinha notado nada de tão extraordinário em tão pouco tempo! A verdade é que fez agora três semanas que comecei a tomar duas cápsulas Viviscal por dia (uma ao pequeno almoço + outra ao jantar) e a usar diariamente o shampoo densificador (indicado para todos os tipos de cabelo), o condicionador densificador e o elixir densificador e os resultados estão a aparecer! Já me cai muito menos cabelo (a diferença é abismal!) e já tenho uma série de cabelos novos a nascer. 

Agora percebo porque é que Viviscal tem ganho tantos prémios ao longo destes 25 anos! Pudera! Quem já experimentou outras marcas (como eu) sente a diferença logo desde o inicio, e não apenas ao fim de três ou seis meses de tratamento.

A gama é constituída ainda pelas Fibras Volumizadoras que dão um aspeto denso e preenchido instantaneamente mas confesso que ainda só usei uma vez porque requer tempo e, de manhã, só quero é despachar-me para me fazer à vida!


Com o complexo marinho AminoMar C™ , exclusivo da marca e cientificamente comprovado por nove estudos científicos, Viviscal Maximum Strenght atua a partir do interior do cabelo, estimulando o nascimento e fortalecendo o crescimento. Tem a capacidade de prolongar o ciclo de crescimento capilar e reduz a queda de cabelo até 40%, conferindo mais densidade ao cabelo e preenchendo falhas no couro cabeludo a partir da raiz (atenção, a marca também tem uma gama para homem).


Se ao fim de três semanas já noto diferenças, imaginem daqui a três meses!
A Rapunzel que me aguarde porque é desta que vai ter uma concorrente à altura :)

Podem ver preços e detalhes AQUI



Sugestão do dia #155

24.05.17 | Paula Veiga Claro

A coleção Swatch Skin está giríssima e recomenda-se! Ontem fomos conhecê-la ao vivo e a cores e gostei imenso da simplicidade envolvente de cada modelo. A coleção é composta por 11 relógios (6 de senhora e 5 unisexo) com braceletes em silicone, milanese e aço inoxidável que se ajustam ao pulso como uma segunda pele (aliás, a ideia é mesmo essa!). 

O meu preferido? O modelo SkinSkin (em destaque na última foto) pela elegância e sobriedade. É o género de relógio que fica bem com quase tudo. Para além disso, adorei os pontinhos brilhantes do mostrador que lhe dão um toque verdadeiramente sedutor ;)




Simples, discreto, jovem e elegante. O meu eleito 


Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook

Orgulho e gratidão

23.05.17 | Paula Veiga Claro

Acordar, abrir o email e dar de caras com esta mensagem que recebi relativamente a um evento que fotografei para uma grande marca. Só vos posso dizer que li a mensagem três ou quatro vezes (enquanto sentia o coração a disparar!) e que hoje vou passar o resto do dia com um mega sorriso nos lábios!

Quem me conhece sabe que sou uma pessoa super simples e sem peneiras mas tenho um orgulho enorme no meu trabalho porque amo aquilo que faço, trabalho arduamente de segunda a domingo (só eu sei o cansaço que tenho no lombo mas o feedback fantástico dos clientes vai-me recarregando as pilhas!), invisto constantemente na minha formação porque este mercado é super competitivo e um bom profissional é aquele que está sempre disposto a aprender, nunca rejeito desafios (por mais ambiciosos que possam ser!) porque a tarimba só se ganha com a adrenalina do terreno, dou o litro em prol dos meus sonhos porque ser profissional liberal é fazer pela vida todos os dias e deposito a minha alma em tudo o que faço. Por isso mesmo, quando recebo um feedback deste nível, por parte de uma agência que representa grandes marcas e que trabalha com dezenas de fotógrafos, só posso ficar absolutamente grata e orgulhosa. Sei que o orgulho é um dos sete pecados mortais mas acredito que as entidades divinas abençoam quem se entrega com amor ao que faz.

Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook

O renovado restaurante Olivier

19.05.17 | Paula Veiga Claro

Faz hoje precisamente uma semana que fomos conhecer o renovado Olivier Avenida que agora se chama apenas Olivier. O espaço foi completamente renovado, para criar um ambiente moderno e exclusivo e a carta revela uma inspiração mediterrânica com forte associação à cidade de Lisboa e à sua vocação cosmopolita. E a nova decoração? Está simplesmente fan-tás-ti-ca! Confesso que já gostava da anterior mas identifico-me bastante mais com este estilo romântico e elegante que confere ao espaço um ambiente simultaneamente trendy e cosy. Nota 20 para os bandos de andorinhas que "voam" pela sala e dão vida ao papel de parede em tons de azul que contrasta na perfeição com os apontamentos brancos, alaranjados e dourados da restante decoração. Adoro detalhes e estas andorinhas, na minha opinião, conferem uma alma peculiar a este espaço e convidam-nos a viajar pelo mundo dos cinco sentidos. Sim, porque entrar no Olivier é isso mesmo! É embarcar numa viagem onde todos os sentidos se deleitam.

Apetece ver, ouvir, sentir, cheirar e degustar cada detalhe. O ambiente é sofisticado mas ao mesmo tempo descontraído e boémio. A decoração fala por si e a música escorrega bem e eleva-nos o espírito. O atendimento é profissional mas boa onda, ou seja, sem peneiras. Mas o melhor de tudo é, como não podia deixar de ser, a cozinha de autor do chef. Quem segue o blog sabe que não tenho a mínima pachorra para estas coisas (fujo do fogão como o diabo da cruz!!) por isso mesmo, admiro profundamente quem faz da cozinha uma arte, sobretudo a este nível! Para mim é algo do outro mundo!

Aliás, foi isto mesmo que eu disse ao Olivier quando ele foi ter connosco para saber se estava tudo bem (incrível a humildade e a simpatia deste chef que circula pela sala para sentir o calor e o feedback dos clientes!). Cada prato é um misto de sabores únicos de comer e chorar por mais. A Rafaela só me perguntava "Como é que isto se faz mamã? Isto é mesmo à Masterchef!! Achas que conseguimos fazer igual em casa?"... ah ah ah!! Aqui a mamã não nasceu com este dom :)

Em suma, cinco estrelas para este espaço em pleno coração de Lisboa 










FOTOS cedidas pelo Olivier


BOM FIM DE SEMANA!


Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook

Um susto do caraças em plena A5

18.05.17 | Paula Veiga Claro

Não sou pessoa de dizer palavrões mas hoje apetece-me mandar os telemóveis, a irresponsabilidade de certas pessoas e o trânsito caótico desta Lisboa para o lugar mais feio que possam imaginar. Porquê? Ontem eram 18h00, ia eu com a Rafaela na A5 (a caminho do evento da Bioderma no Hotel Tivoli da Av. da Liberdade) quando o veículo que vinha atrás de nós embateu brutalmente na traseira do meu. Naquele momento não consegui pensar em nada. Só ouvi os gritos da Rafaela a dizer "Estamos a ter um acidente mamã!". Travei o carro, vesti o colete e sai para ir ter com o outro condutor. Dei de caras com um velhote num Honda Jazz e perguntei-lhe de olhos esbugalhados "MAS o senhor vinha a dormir?????". O homem olhou para mim e respondeu-me apalermado, como quem não acredita no que acabou de fazer. "Ohhh minha senhora, desculpe! A minha mulher estava a ligar-me e eu distrai-me enquanto tirava o telemóvel do bolso! A culpa é toda minha! Lamento imenso minha senhora!"

(enfim.... sem comentários...)

Pedi-lhe para vestir o colete e colocar rapidamente o triângulo na estrada para não corrermos o risco de ser abalroados por outro doido qualquer (sim, porque dois veículos parados em plena hora de ponta na A5 é um perigo brutal!). Pedi à Rafaela para se manter sentada com o cinto e ao velhote para entrar no meu carro de forma a preenchermos a declaração amigável em segurança (de pé na estrada encostados aos veículos é que não!). Felizmente consigo manter o sangue frio nestas situações, nem sei como! Sou uma pessoa super agitada por natureza mas nestes momentos desce em mim uma calma do outro mundo.

Preenchi a declaração na totalidade (porque o homenzinho nem tinha trazido os óculos e não enxergava um palmo à frente dos olhos!) e entretanto chegou a Brisa para sinalizar melhor o local e saber se não havia feridos. Enfim, como é que uma pessoa desta idade anda a conduzir à hora de ponta, sem óculos e ainda por cima a atender chamadas?? É de loucos! 

Em suma, apanhei uma camada de nervos, fiquei com uma tensão enorme na cervical por causa da força do embate (a minha cervical, o meu eterno calcanhar de Aquiles!), uma dor no músculo do braço esquerdo devido à força que fiz para manter o volante firme e a traseira do carro num estado lastimável (a mala nem abre!). A Rafaela, felizmente, não se queixou de nada, a não ser do susto e da irresponsabilidade do velhote. Aliás, manteve uma calma incrível e, do alto dos seus 9 anos, ainda lhe disse várias vezes "O Senhor tem que ter cuidado porque se continuar a fazer isso ainda mata alguém!". 

Posto isto, só me resta dizer-vos que larguem a merda dos telemóveis enquanto conduzem. Não ponham a vossa vida nem a dos outros em risco. Começo a estar tão mas tão fartinha desta tecnologia, ou melhor, da escravatura e da estupidez humana que se gerou em torno deste objeto que desvia as pessoas do essencial, ou seja, da vida real. 

Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook


Família Barral

17.05.17 | Paula Veiga Claro

Aqui estamos nós (novamente!!) rodeadas dos nossos amigos bichos, desta vez a convite da Barral que reuniu várias bloggers e figuras públicas num lanche descontraído em pleno Jardim Zoológico com o intuito de celebrar antecipadamente o Dia da Família. Um final de tarde descontraído que contou com várias atividades a pensar nos mais pequenos, incluindo uma atuação ao vivo do Avô Cantigas que apresentou a nova música "3 Super Heróis Barral Baby Protect". 

Mas a cereja no topo do bolo, pelo menos para a minha Rafaela, foram mesmo as araras e os mochos! Enfim, palavras para quê! Ela e a sua eterna paixão pela bicharada ;)







Sempre igual a si mesmo e com uma energia dos diabos! Há avôs que nunca envelhecem :)

FOTOS cedidas pela Barral

Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook



Pág. 1/3