sexta-feira, 26 de maio de 2017

Cenas queridas que se veem cá em casa #11


Todos os dias lê um bocado antes de se deitar. Se não o fizer fica com a sensação que lhe falta alguma coisa. Mas nem sempre foi assim! Foi um hábito que lhe incuti durante as férias do verão, quando transitou do primeiro para o segundo ano. Porquê? Porque no fim do primeiro ano já sabia ler mas era importante continuar a praticar, sob pena de chegar a setembro completamente enferrujada (sim, porque em três meses de férias os miúdos esvaziam a cabeça!).

Olhou para mim, fez cara feia e resmungou "Mas eu estou de férias! Agora quero é brincar porque ler dá muito trabalho!".

Expliquei-lhe que dava trabalho porque estava a aprender e tinha que fazer um esforço enorme para juntar as palavras e interpretar mas, com a prática, a leitura começa a escorregar fluentemente e passa a ser um prazer que nos permite aprender, viajar, relaxar, abrir horizontes e trabalhar o vocabulário. E ela??? Continuava a resmungar e a arranjar todo o tipo de desculpas para adiar a dita hora.

Mas não desisti. Cativei-a com livros sobre o mundo dos animais (tinha que ser!) e mais tarde apresentei-lhe a coleção do Petzi que era do papá. Adorou, lembram-se? Até partilhei esse momento convosco aqui.

E foi assim que a obrigação se transformou em hábito e prazer. Entrou no segundo ano a ler perfeitamente e hoje, a caminho do quarto, é ela que toma a iniciativa de ler todas as noites.

Ontem, quando chegou a casa, a primeira coisa que me disse foi: "Temos que comprar mais livros mamã! Esta noite já não tenho nada para ler e depois deito-me com a sensação que falta alguma coisa!"

Espetáculo! Fiquei babadíssima mas, como o espaço para arrumar tanto livro já escasseia, lembrei-me que o melhor era inscrevê-la na biblioteca municipal. E assim foi! Já temos a Rafaela oficialmente inscrita naquele mundo fantástico onde encontra centenas de livros para requisitar e devorar todas as noites. 

Depois de a inscrever não resisti em sacar do telemóvel para captar este momento que me fez lembrar os meus tempos de infância. Sim, porque eu também adorava ir à biblioteca e ficar mergulhada naquele silêncio enquanto escolhia os livros para trazer para casa. 


Moral da história: A mãe até pode ser chata mas, graças à minha persistência, hoje temos uma miúda que adora ler e escrever (e fá-lo muitíssimo bem!). 

BOM FIM DE SEMANA

Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook

2 comentários:

  1. As Mães com M grande são assim! Parabéns por ser como é e pela filha maravilhosa que tem!

    ResponderEliminar
  2. Isso é ótimo! Todos dias lemos um livro ao nosso filho e esperamos que um dia seja ele a ler! Bons hábitos!

    ResponderEliminar