Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

Angel Luzinha

Fotografia e o prazer de ser Mulher e Mãe por Paula Veiga Claro

O nosso Natal

29.12.17 | Paula Veiga Claro

Tinha dito que só voltava ao blog em janeiro mas não consegui! Porquê? Porque quando estou três ou quatro dias sem passar por aqui começo logo a ressacar. Sim, porque o blog é o meu espaço de trabalho mas também é a extensão da minha alma. "Bloggar" ou comunicar (como lhe queiram chamar) é uma necessidade, um vício e uma paixão. E para quem já anda nisto há tantos anos (como eu!) também é uma segunda casa onde relaxo enquanto ouço os dedos no teclado e registo as memórias que vou colecionando.

E hoje é dia de registar o Natal. Este ano foi passado em nossa casa. Foi o primeiro sem a magia do Pai Natal mas ela estava tão feliz por ter cá o tio e os avós que nem sentiu a falta do velhote de barbas brancas, nem dos guizos das renas à meia noite (o que é bom sinal porque só revela que já sabe dar valor ao que é realmente importante). Aliás, eu fiquei de rastos quando lhe contei a verdade (leram aqui?), temi que tudo perdesse o encanto mas fiquei profundamente serena e feliz ao vê-la tão radiante na Consoada (e comprovei, mais uma vez, que a verdadeira magia está nas crianças e em cada um de nós).



Para além disso, eu e o pai tivemos a vida bastante mais facilitada porque, ao saber a verdade, moderou-se na lista de pedidos e disse-nos que não queria surpresas. Preferiu vir connosco às compras para escolher o que queria (uns brincos novos, uma mochila pequena para usar na rua e esta coelhinha mega fofa da Claire's). Ficou tudo embrulhado debaixo da árvore de Natal e à meia noite abriu estes presentes juntamente com os que reunimos de familiares e amigos. Tudo vivido com uma alegria esfuziante e este sorriso que enche a nossa vida. Nessa noite já dormiu com a sua fofuxa e arranjou-lhe logo um lugar seguro porque a Amélie é doida por peluches e se a apanha chama-lhe um figo! Lembram-se como ficou a pobre bailarina?? Espreitem aqui (terror!!!).


No Dia de Natal acordou eufórica e já só falava no seu aniversário (isto de fazer anos a 26 de dezembro é uma loucura que não fazem ideia! É muita emoção junta!). No próximo post logo partilho os momentos que registei (maravilhosos!) e mostro-vos o presente que a deixou histérica (tanto pediu que lá nos convenceu...)

E o look natalício? Lembram-se de vos ter dito aqui que não ia perder o meu precioso tempo à procura de roupa para ela? Disse e cumpri porque roupa não lhe falta e no stress em que eu andei antes do Natal (com trabalho e mais trabalho) jamais iria perder uma manhã ou uma tarde à procura de algo que lhe agradasse. Nem pensar! E ela até me agradeceu porque ainda se lembra do pesadelo que foi o ano passado para encontrar este kit. Este ano conjuguei peças que já tinha e a minha paciência agradeceu ;)

Camisola Dr. Kid
Saia Zippy
Pulseiras Claire's (oferta da prima, adorou!)


Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook

10 anos ♥

26.12.17 | Paula Veiga Claro

A minha mãe diz que o tempo voa e que nem acredita que hoje já faz 10 ANOS que nasci no Hospital Cuf Descobertas às 20h04 de parto natural com ventosas (foi terrível mas lá consegui sair!) com 49cm e 3.320Kg de pura fofura. Ela diz que ficou exausta mas eu tenho as minhas dúvidas porque ela passoua noite toda a olhar para mim com um sorriso GIGANTE!

Pois é Rafaela, a minha felicidade era tanta que nemconseguia dormir! Só queria olhar para ti. Fiquei completamente hipnotizada poreste amor que não cabe dentro de mim e que me dá super poderes. SIM, as mãestêm super poderes! Um dia vais perceber! Amo-te até ao infinito e maisalém 

Feliz Natal

22.12.17 | Paula Veiga Claro

Entrámos em contagem decrescente! É tempo de abrandar, agradecer, festejar, mimar a família e saborear este borbulhar mágico que já se vive por aqui. Amanhã chegam os avós e dia 26 a Rafaela faz 10 anos (uma década, nem acredito!). É muita emoção junta! Estes momentos merecem ser vividos em pleno e por isso vou mesmo desligar-me. Regresso ao blog em janeiro e nos entretantos vou dando sinal de vida pelo stories e instagram

Votos de um BOM NATAL também para todas vocês que nos fazem companhia aí desse lado. Aproveitem estes dias para focar o essencial e desfocar o supérfluo para conseguirem desfrutar ao máximo do que é realmente importante. Aqui vai um suuuuuper beijinho voador 

A verdade sobre o Pai Natal

21.12.17 | Paula Veiga Claro

Este ano o nosso Natal vai ter metade do encanto. Porquê? Porque chegou o momento da verdade, o momento em que a bolha da ilusão rebenta e deixa a descoberto a realidade. Tenho para mim que a Rafaela queria acreditar no Pai Natal eternamente (como eu!) mas em maio deste ano tivemos que lhe contar a verdade (aquando das celebrações das aparições de Fátima). Estávamos na cozinha e ela saiu-se com esta: "Acho que os milagres são como o Pai Natal. Há pessoas que acreditam e há outras que dizem que é tudo mentira! Eu acredito no Pai Natal, ele até já me escreveu uma carta a provar que existia mas os meus colegas dizem que é tudo mentira. Eles não acreditam e estão sempre a dizer-me que são os pais! Não é verdade, pois não mamã? Vá lá, diz-me a verdade por favor!".

Já me tinha feito esta pergunta quinhentas vezes mas desta vez olhou-me nos olhos de uma forma tão adulta que me deixou sem margem para dar a volta. Na opinião do pai já lhe devíamos ter contado a verdade há mais tempo mas eu nunca concordei porque sou uma criança em estado adulto e se há coisa que preso é a magia e a inocência. Aliás, para mim esse é o maior encanto desta época e da vida! O meu Natal perdeu a magia quando os meus pais me contaram a verdade (tinha eu 10 anos) mas consegui recuperar uma parte dela no momento em que fui mãe. Através da Rafaela passei a reviver essa fantasia e foi com as lágrimas nos olhos que lhe contei a verdade (custou-me horrores, a sério!). Nesse momento senti a magia do Natal abandonar-me definitivamente. Aliás, custou-me muito mais a mim do que a ela que aceitou a verdade sem qualquer mágoa. No fundo, foi a confirmação daquilo que já suspeitava. O ano passado a coisa já não tinha corrido muito bem porque o Pai Natal não se deixou ver como ela tanto pediu na carta que lhe escreveu (podem ver o vídeo que publiquei no facebook). Bebeu o leite, deixou os presentes e um bilhete a explicar que gosta muito dela mas que não pode parar para conversar porque tem que chegar a horas a todas as casas... ela compreendeu mas ficou tristíssima.

Em suma, estava na hora da verdade. Já não havia forma de dar a volta às perguntas que fazia nem à frustração que sentia por não conseguir ver e conversar com o verdadeiro Pai Natal (porque esses que estão nos shoppings só andam aqui a enganar as crianças, dizia ela!). E foi em maio deste ano que surgiu essa oportunidade. Reforçámos a ideia de que nunca lhe mentimos mas que o Pai Natal é como a Fada das Chuchas ou como a Fada dos Dentes. São fantasias que tornam a infância ainda mais mágica (como os filmes da Disney) e que permitem aos pais reviver esse encanto através dos filhos. Para além disso, o espírito do Natal reside no calor daqueles que mais amamos e não nos presentes e nas futilidades do mundo material.

A modos que este ano já não vamos ao correio enviar a carta... nem vamos ter uma miúda em delírio a correr pela casa à procura do Pai Natal (eram momentos deliciosos, únicos, extraordinários!) mas o que importa é que anda radiante mesmo sem Pai Natal! Foi connosco comprar o presente que tanto queria (depois mostro) e anda aqui num entusiasmo brutal a contar os minutos para os avós chegarem do Alentejo porque este ano a Consoada será em nossa casa.

Resumindo, o Pai Natal não existe mas a verdadeira magia reside nas crianças e na luz única que emanam. Sem elas o Natal e a vida nunca teriam o mesmo encanto ♥ (e a eterna criança aqui em casa sou eu!)

Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook


Mais alguém com saudade desses tempos?

20.12.17 | Paula Veiga Claro

Estou oficialmente de férias (nem acredito!). Os próximos dias vão ser de descanso, balanço, reflexão, mimos, brincadeira, vadiagem e também de preparativos para os projetos que se seguem. Um deles é bem louco e vai ser assinado por mim e pela Rafaela (já andamos aqui as duas a borbulhar de ideias). SIM, porque se a mãe não sabe estar parada, a filha não lhe fica atrás! Em breve conto tudo. Agora quero é dedicar-me ao sossego e, para evitar stress, até passei a tarde de sábado enfiada no shopping (para muitos é um programa maravilhoso... para mim é um inferno!) para dar conta dos presentes de uma só vez. O espírito consumista não combina comigo mas opto sempre por oferecer coisas úteis e isso minimiza o enjoo que os excessos do mundo material me causam. Cada vez tenho mais aversão à tralha que nos polui a vida e nos rouba tempo e energia para viver e usufruir do que realmente importa. Quem me segue sabe que o meu lema é viver com menos para ter mais (mais tempo, mais espaço, mais sanidade mental) mas, nesta altura do ano, é preciso fazer um esforço redobrado para não cair em tentações porque o apelo ao consumo é de facto monstruoso. É monstruoso e aniquila o verdadeiro significado desta época. Mas eu controlo-me lindamente e faço os possíveis para educar a Rafaela no sentido de dar valor aos momentos e não às coisas (mas sobre isto falarei noutro post).

Hoje o que me leva a escrever é a saudade que sinto dos tempos em que uma pessoa fazia as compras de Natal e chegava a casa com tudo devidamente embrulhado (chamem-me velha do Restelo mas é o que sinto ). Pagávamos mas saíamos das lojas com embrulhos lindíssimos (muitos deles até dava pena abrir!). Os comerciantes caprichavam no papel,  nos laços e na arte de embrulhar. Hoje em dia a malta paga e ainda vem para casa fazer embrulhos. Há marcas que têm sacos mas há outras que nem isso. E depois há as que nos mandam para a fila dos embrulhos onde só permanecemos se tivermos uma paciência de elefante (coisa que escasseia ao comum dos mortais nesta altura do ano!)... ou trazemos tudo para casa e tratamos nós mesmas do assunto. E é assim que surge MAIS uma tarefa doméstica para nos consumir MAIS um serão.  No nosso caso foi uma manhã porque a Rafaela adora ajudar e perde-se de amores por tudo o que envolve trabalhos manuais (quem viu esses momentos no stories? ). Em suma, um ritual que veio para ficar.... mas fica a saudade dos outros tempos.


Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook

Felicidade

15.12.17 | Paula Veiga Claro

Faz 10 anos que o KikoNico da esquerda mora cá em casa. Foi a primeira coisa que comprei à Rafaela. Na altura ainda trabalhava na revista Men's Health e vi-o num catálogo que chegou à redação. O seu ar doce e frágil arrebatou-me o coração (sim, já sabem que sou pior que os putos! Não resisto a fofuras!) e acabei por comprar um na Imaginarium dos Armazéns Chiado. Cheguei a casa feliz mas com um enorme aperto no peito... e se alguma coisa corresse mal? E se eu também perdesse esta bebé? Antes tinha estado grávida de gémeos e, apesar da gravidez da Rafaela ter corrido lindamente, passei o tempo todo num estado de ansiedade brutal. Por isso só tratei do quarto, das roupinhas e de tudo o resto no último mês de gestação. Enfim, só quem passa por estes traumas sabe como é... uma pessoa nunca mais fica a bater bem da cabeça.

A modos que a compra deste bonequinho foi uma exceção porque algo me dizia que ele ia dar sorte (enfim, coisas que uma mãe sente e que mais ninguém consegue compreender!). No dia 26 de dezembro a princesa nasceu, desembrulhei-o e coloquei-o no berço ao seu lado. E assim permanece até hoje porque adora dormir rodeada dos seus peluches favoritos (nem sei como é que se consegue mexer no meio de tanta bonecada!). Quando começou a falar batizou-o de Oó e, apesar de já estar velhote, continua a ocupar o trono dos favoritos.


Está velhote mas é feliz e agora até arranjou um irmão super colorido e solidário! Chama-se KikoNico da felicidade e já está à venda em todas as lojas da Imaginarium (incluindo loja online). Esta edição especial foi criada pela designer de moda espanhola María Escoté e representa a criatividade, a espontaneidade e a felicidade das crianças. Por cada exemplar vendido, 1€ reverte para o projeto de construção de um infantário/escola no Quénia.



Se há brinquedos que nunca se esquecem o nosso Oó é um deles 

Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook

Com a Mimosa e a Orquestra dos Brinquedos

14.12.17 | Paula Veiga Claro

Ontem estive novamente ao serviço da Mimosa numa manhã de arromba (literalmente!). A marca juntou-se à Orquestra dos Brinquedos (no âmbito do Programa Pedagógico Mimosa de sensibilização para os lanches escolares saudáveis) e juntas receberam largas centenas de alunos, na Aula Magna em Lisboa, para um concerto especial com reportório tradicional de Natal. Vocês nem calculam a euforia! Francisco Garcia fez as delicias da pequenada (podem ver os vários diretos aqui) e eu fui-me desdobrando para fotografar tudo (sim, porque no meio de tanta criança é preciso fazer mil acrobacias para conseguir chegar a todo o lado!). Aqui fica uma amostra desta graaaaande manhã ;)


Para quem não sabe, a Orquestra dos Brinquedos é constituída por professores de expressão musical da Foco Musical Portugal







No final do evento a Mimosa distribuiu a todas as crianças um kit composto por leite e uma aventura do Copinho e do Copão. Desta vez as duas personagens foram descobrir de onde vem a energia do Pai Natal que se consegue manter ativo e cheio de força durante toda a noite. Os pequenos exploradores seguiram-no e descobriram que o segredo está no leite porque é rico em cálcio e proteínas que tornam os músculos e os ossos mais fortes (e o Pai Natal é doido por leite!!!).


Com esta aventura a Mimosa enfatiza mais uma vez o valor nutricional do leite e a sua importância em todos os momentos, ajudando no crescimento, energia e concentração :)




















Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook

Quero mais leite

12.12.17 | Paula Veiga Claro

Quais são as minhas bebidas de eleição? Leite, chá, vinho verde e vinho tinto. Se tivesse que escolher apenas uma seria complicado porque todas elas dão um toque especial aos meus dias. De manhã não dispenso o belo do chá com torradas, ao lanche atiro-me ao leite (ou aos iogurtes) e ao jantar gosto de saborear um copo de tinto ou de verde gelado. De qualquer forma, hoje o destaque vai para a campanha "Quero mais leite", levada a cabo pela Federação Nacional das Cooperativas de Produtores de Leite com o intuito de homenagear esta bebida tão natural, versátil e saborosa que oferece uma excelente relação entre nutrientes essenciais e valor calórico. Além disso, pode ser facilmente consumido em qualquer lugar e de diversas formas, adaptando-se ao estilo de vida de cada um. É bom tê-lo sempre por perto (um pacote na mala ou na mochila faz milagres quando a fome aperta!) para beber simples ou de mil formas. Gordo, magro, meio-gordo, com aromas, enriquecido ou sem lactose, o leite adapta-se a diferentes dietas e gostos.

Por isso mesmo, como fã assumida desta bebida, junto-me a esta campanha e aproveito este post para partilhar convosco as resposta a algumas perguntas frequentes (e pertinentes!) sobre o consumo de leite.

Porque é que o leite é branco?
A cor branca do leite é o reflexo da luz nos glóbulos de gordura e nas partículas coloidais de caseína e do fosfato de cálcio.

O leite ajuda a dormir melhor?
Um dos aminoácidos do leite, o triptofano, é responsável por modular a produção de serotonina (um neurotransmissor que dá sensação de bem estar) que, por sua vez, é percursor da melatonina, a qual induz o sono. Para ser mais eficaz, é necessário que o leite seja ingerido a temperatura tépida e acompanhado de uma fonte de hidratos de carbono (aveia, pão escuro ou cereais integrais por exemplo).

O leite deve ser a fonte de eleição de cálcio? 
Os produtos lácteos são uma das melhores fontes de cálcio biodisponível. Outros alimentos com cálcio podem conter componentes quelantes, ou seja, que reduzem a absorção de cálcio, como fitatos e oxalato (presentes no espinafre, feijão, cereais integrais). Para além disso, ajustando a quantidade de cálcio às porções normais de consumo dos alimentos, seria necessário consumir cerca de 2,5 chávena de brócolos, 7 chávenas de feijão vermelho ou 170 g de amêndoas torradas para absorver o cálcio equivalente a uma chávena de leite (250ml). O leite é assim a fonte de cálcio mais prática (e barata) presente na alimentação. 

O leite biológico é mais benéfico nutricionalmente? 
Do ponto de vista nutricional, bem como da qualidade e da segurança alimentar, não há diferenças significativas entre o leite biológico e o leite convencional. As diferenças residem sobretudo no ambiente onde o animal é criado e na sua alimentação e no modo como o leite é tratado. 

O que é um leite especial? 
Os leites especiais apresentam adição ou redução de determinados nutrientes ou substâncias, com o objetivo de melhorar a ingestão nutricional e/ou adaptarem-se a necessidades específicas. Atualmente, existem no mercado leites destinados a todas as idades e às diversas exigências físicas e nutricionais. 

Qual é a diferença entre alergia e intolerância ao leite de vaca? 
A alergia é uma reação adversa do organismo que envolve o sistema imunitário, ou seja, é uma resposta do sistema imunitário a um estímulo externo específico. A alergia ao leite de vaca é pouco comum no adulto, mas frequente no lactente, dada a imaturidade do seu intestino, mais vulnerável a processos de inflamação originados pelas proteínas do leite. Geralmente, esta condição não é definitiva e a criança pode, mais tarde, consumir leite de vaca, seus derivados e produtos que incluam leite de vaca na sua composição. A intolerância à lactose é uma reação adversa do organismo que não envolve o sistema imunitário. Algumas pessoas são intolerantes à lactose, ou seja, têm dificuldade em metabolizar este dissacarídeo presente nos produtos lácteos, devido à ausência ou diminuição da ação da enzima lactase. Quando isto acontece, a lactose permanece no intestino e os microrganismos coliformes fermentam-na, ocasionando desconforto abdominal, flatulência inflamação, diarreia e desidratação. A intolerância à lactose pode surgir em qualquer fase da vida, como resultado temporário de uma infeção ou lesão da mucosa intestinal, mas tende a incidir na idade adulta, quando a atividade da lactase é ausente ou insuficiente, pelo menos na população caucasiana. Como solução para uma digestão mais facilitada, o indivíduo poderá consumir leites com a lactose previamente desdobrada nos seus componentes mais simples - glicose e galactose. Nesta solução, as propriedades nutricionais e o sabor do leite mantêm-se, facilitando o seu consumo regular. 

Quantos copos de leite posso beber por dia? 
As recomendações de ingestão da Roda dos Alimentos indicam 2 a 3 porções de leite e derivados por dia, que podem ser obtidas com 2 ou 3 copos de leite de 250ml. Esta porção pode variar atendendo às especificidades, fase do ciclo de vida, gosto individual e da quantidade diária ingerida de alimentos equivalentes.

Posso incluir leite num plano alimentar de perda de peso? 
Diversos trabalhos de investigação sugerem que a inclusão de produtos lácteos magros em planos alimentares é fundamental para uma perda de peso saudável, ou seja, perda de massa gorda com manutenção de massa muscular. A ingestão regular de cálcio também parece facilitar a oxidação de gordura. Desta forma, o leite e seus derivados são bons aliados para perder peso de forma saudável e equilibrada. 

Qual o tipo de leite mais adequado para a fase do ciclo de vida em que me incluo? 
O leite de vaca não deve ser consumido nos primeiros 12 meses de vida. Entre os 12 e os 24/36 meses, é desejável a utilização de “leites de crescimento”. Neste período, o leite deverá conter um teor de gordura total ao nível do leite gordo (com ácidos gordos de fácil digestibilidade) e enriquecimento em ácidos gordos ómega 3, devido ao desenvolvimento do sistema neurológico. Após essa idade, poderá optar por leite meio-gordo e a partir da adolescência por leite meio-gordo ou magro. Ressalve-se que na escolha do tipo de leite deve considerar o que melhor se adequa à sua condição fisiológica ou de saúde, pelo que para uma escolha mais adequada deve consultar um nutricionista. 

O leite pode ser uma bebida interessante para desportistas? 
Vários estudos científicos têm vindo a demonstrar que o leite pode ser visto como uma boa bebida para os desportistas quando consumido no final do treino. O seu perfil nutricional apresenta tudo aquilo que se pretende para uma eficiente recuperação pós-exercício: Hidratos de carbono para promover a recuperação do glicogénio muscular, proteínas de elevado valor biológico que aumentam a síntese proteica muscular, água (90% do leite) e alguns eletrólitos (sódio, potássio, cálcio) que contribuem para a reidratação após o exercício. O leite pode ser um magnífico ingrediente para um batido de recuperação, ao qual se podem adicionar outros alimentos como banana, aveia, mel, canela, frutos vermelhos e até suplementos (whey, creatina, ómega 3), todos eles com um papel importante na recuperação muscular e na melhoria da performance desportiva. Pela dificuldade de digestão da caseína e lactose, não se recomenda a ingestão de leite antes ou durante o treino, e por isso deve ser visto como uma bebida de recuperação e não como uma bebida desportiva.

Aqui em casa gostamos dele meio gordo, simples e sem lactose. Nenhum de nós é intolerante mas, desta forma, digere-se mais facilmente a qualquer hora ;)

O Natal já chegou (finalmente) à nossa casa!

11.12.17 | Paula Veiga Claro

"Mas quando é que nós começamos a tratar do nosso Natal mamã??" pergunta a Rafaela a uma mãe que tem passado dia e noite entre shootings e de cabeça enterrada no computador para dar conta de tanta foto. A verdade é que ando cá há 41 anos e nunca me lembro de ter chegado a esta altura do ano sem a árvore feita e presentes comprados. Sinto-me a nadar no caos, até porque sou a tal que não gosta de fazer nada em cima do joelho MAS esta demora tem sido por um bom motivo. Que a saúde e o trabalho nunca me faltem, assim como o vosso feedback fantástico que me dá aquele boost para continuar a fazer mais e melhor.

No dia 18 ainda vou ter que mergulhar numa maratona de edição (porque também trabalho no próximo fim de semana) mas depois desligo até janeiro. A Rafaela merece ter a mamã só para ela durante as férias e eu preciso de mergulhar no calor da família para ganhar fôlego para os projetos que se seguem. Tenho roubado horas ao sono, tenho feito das tripas coração mas vou conseguir. Entretanto, ontem de manhã, entre edições e livros de matemática (só espero que o teste lhe corra bem e que não se espalhe na frequência relativa!) lá conseguimos erguer a nossa árvore de Natal e decorar a casa para os dias mágicos que se avizinham. Já não falta tudo :)


Camisola Dr. Kid
Leggings Calzedonia (com tecido polar por dentro, super quentinhas!)
Pantufas Pisamonas (porque aqui em casa os sapatos da rua ficam sempre à porta)




 Dourado e branco, as minhas cores de eleição para esta quadra.
Flores, bolas e luzes (tudo Leroy Merlin dos anos anteriores) e tapete Ikea 


E o presépio mais querido é da autoria da minha artista (criar é definitivamente com ela e agora, que descobriu o YouTube, passa a vida a devorar tutorias e a fazer experiências. Não tarda monto um Museu com a quantidade de coisas que saem daquelas mãos!)


Também nos podem seguir no  Instagram e Facebook

Pág. 1/2